TÓPICOS

Colômbia: um povo armado apenas com a força da palavra

Colômbia: um povo armado apenas com a força da palavra


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Níkolas Stolpkin

A Colômbia é mais do que aquele “sorriso” despreocupado que é veiculado com insistência pela CNN, é choro, alegria, dor, desamparo ... é medo, miséria e morte, mas acima de tudo ainda é ESPERANÇA. A Colômbia é indígena, negra, mestiça, camponesa, urbana, estudante, desempregada, deslocada, vítima de violência, explorada ...

"Colômbia: O risco é que você queira ficar" - Introdução


A Colômbia não é um "paraíso", como quer desenhar a rede CNN que chega à América Latina. Isso deve estar muito claro. Esta campanha de propaganda para atrair turistas, que está sendo realizada, é uma forma de negar ao mundo um conflito que tem o povo colombiano submerso no medo, na miséria e na morte.

A Colômbia é mais do que aquele “sorriso” despreocupado que é veiculado com insistência pela CNN, é choro, alegria, dor, desamparo ... é medo, miséria e morte, mas acima de tudo ainda é ESPERANÇA. A Colômbia é indígena, negra, mestiça, camponesa, urbana, estudante, desempregada, deslocada, vítima de violência, explorada ...

Hoje, enquanto muitos assistem a novelas, shows de risos, pequenos shows sobre a vida de “famosos” locais ou catástrofes naturais, a Colômbia vive uma grande marcha histórica que os meios de comunicação insistem em negar. Uma marcha massiva que se recusa a aceitar as políticas ditatoriais de um governo e instituições contaminadas até o âmago pelo narcoparamilitarismo. Neste momento, essa marcha se dirige a Bogotá, capital da Colômbia. É a Minga dos Povos, resistência indígena e popular, resistência social e comunitária, é a Colômbia organizada a uma só voz e que diz BASTA! NÃO MAIS HUMILIAÇÕES, DESAPARECIMENTOS, PERSEGUIÇÃO POLÍTICA, MISERÁVEIS CONDIÇÕES DE TRABALHO E SALÁRIO, CONDUTA REPRESSIVA CONTRA TRABALHADORES, ESTUDANTES, PESSOAS, INDÍGENAS, CAMPONESAS! CHEGA!

Muitos “analistas” se surpreendem com o fato de que são os “indígenas” que lideram esta massiva mobilização (1). No entanto, aqui não há razão para se surpreender, já que os camponeses indígenas e colombianos os apoiam há anos na luta contra as políticas repressivas e excludentes que vêm sendo implementadas por governos de geração após geração, de modo que os níveis de organização são elevados. desenvolvido.

E também deve ser enfatizado que essas políticas não estão voltadas exclusivamente para o mundo indígena, mas para todo o povo colombiano. E o que o governo colombiano quer agora é ver um “problema indígena” e não um problema colombiano. Eles se incomodam com o fato de que os indígenas e camponeses colocam sobre a mesa as demandas e demandas de todos os colombianos vítimas de políticas repressivas e excludentes. Incomoda-os saber que os povos esquecidos da Colômbia são capazes de organizar e mobilizar multidões, apesar de os meios de comunicação, tanto locais como internacionais, insistirem em silenciá-los ou de alguma forma negá-los.

Outubro: Mês da Resistência Indígena e Popular

Devemos lembrar a muitos que a violência institucional política e militar está presente na Colômbia há várias gerações. Não é algo que acontece há alguns meses, o povo colombiano sofre há muitos anos.

Que todo esse descontentamento social e organizado emergido em outubro, no marco da Minga de Resistência Indígena e Popular, nos fala do tédio de um povo que vem com uma história às costas, de abusos e humilhações contra os indígenas. e camponeses.

O mês de outubro representa um mês simbólico de resistência dos povos indígenas da América Latina. Não é a data de nenhuma festa, como é para o homem “branco” que celebra a “descoberta” ou o “encontro” de dois mundos. Para os indígenas colombianos, significa o que até agora continuam vivendo na própria carne: extermínio, humilhação, submissão, expropriação (2).

Não se deve ver em menos que nos últimos oito anos, período em que coincide com a ditadura de Uribe, mais de 1.250 indígenas foram mortos, conforme Luis Evelis Andrade, presidente da Organização Nacional Indígena da Colômbia, ONIC ( 3). E aos mortos se juntam os indígenas deslocados, onde estiveram mais de 50.000 nos últimos seis anos. Ou seja, entre indígenas e camponeses, 4 milhões é o número de pessoas que sofreram diretamente nos últimos 20 anos. No mesmo período, foram assassinados 3.000 sindicalistas e mais de 7.000 presos políticos que o Comitê de Solidariedade com os Presos Políticos Colombianos (Cspp) registrou na Colômbia, dos quais a maioria são camponeses, então podemos dizer que aqui as coisas não são assim São lindas porque querem ser pintadas pela CNN (em espanhol) e que vir falar sobre pertencer a um “Estado Democrático” é simplesmente absurdo. São números que devem ser levados em consideração se quisermos indagar por que a convocação indígena que começou especificamente no último dia 10 de outubro gera uma alta adesão.

Devemos ressaltar que ameaças, assassinatos, estupros, humilhações, etc., dentro da Colômbia, são atos que continuam ocorrendo dentro de uma suposta “Segurança Democrática”, política implementada pelo governo de Álvaro Uribe (Nota 1: o “Presidente” governa desde 2002). Some-se a isso o fato de que 95% das violações de direitos humanos permanecem em total impunidade (4).

Infelizmente, todos esses atos não chegam às notícias no mundo e menos ainda na mídia colombiana, a menos que tenham assassinado um americano ou um congressista colombiano.

Com o assassinato de Raúl Mendoza Hío (45 anos), governador indígena do município de Peñón, Município de Sotará, e outrora ex-Conselheiro do CRIC (Conselho Regional Indígena do Cauca), produzido em 28 de setembro deste ano, podemos diga qual é a "gota" que transbordará do copo. Após ter sido constantemente ameaçado de morte, por ter liderado um processo de recuperação de terras ou dito localmente como "libertação da Mãe Terra" na propriedade Los Naranjos, Município de Sotará, Cauca (Sudoeste da Colômbia), foi finalmente morto e condenado a morte em nas mãos de um assassino (5).

Dias Chave da Minga dos Povos

O1 de outubro - Chamada Nacional de Mobilização e Luta

Três dias após a morte de Raúl Mendoza, os órgãos indígenas agrupados na ONIC (Organização Nacional Indígena da Colômbia; fundada em 1982) fizeram um apelo à mobilização, já que outubro foi um mês de dias de protestos sociais, "indignados com o genocídio, por o fortalecimento dos paramilitares, pela falta de garantias do Estado, pela violência e pela morte ”. Deixaram claro que o mês de outubro seria um mês de resistência para defender suas vidas, territórios e direitos (6).

Mas, mais importante, eles deixaram claro na Chamada Nacional para a Mobilização e Luta que sua luta não é tão diferente daquela dos camponeses explorados, dos sem-teto, dos setores afrodescendentes, dos trabalhadores mal pagos, etc. E que as organizações sociais têm o “dever e o desafio de erguer uma folha unida que una as nossas lutas, de derrubar todas as medidas que este regime impôs à custa da nossa vida e do nosso bem-estar” ... “O nosso dever é unificar nas lutas, devemos fortalecer a oposição política a um regime que se fundou com base na estratégia paramilitar ”(7).

03 de outubro - Solidariedade com os Corteros de Caña del Valle del Cauca e os funcionários da justiça vinculados à ASONAL

O ONIC expressa sua posição política e solidariedade aos cortadores de cana-de-açúcar do Vale do Cauca, que entraram em greve no Departamento de Valle del Cauca e em todo o país. Bem como aos trabalhadores da justiça ligados à ASONAL que estão em greve geral há um mês (8).

09 de outubro - Carta aberta ao Presidente da República - CORDINACIÓN AGRARIA DEL CAUCA (9)

Além de manifestar suas justas reivindicações e assinalar que a Minga de Resistência Social e Comunitária do Sudoeste da Colômbia já está em marcha, nesta carta reclamam a presença de Álvaro Uribe para o dia 14 de outubro em La María Piandamó. Compromisso ao qual não chegará.

11 de outubro - Os povos indígenas estão enchendo o país de esperança.

Em todos os cantos do país os povos indígenas se levantaram com a força da palavra para denunciar os abusos do Estado colombiano, que têm sido objeto de ameaças, deslocamento, humilhação e morte (10)

12 de outubro - Membro de comunidade indígena assassinado em Cauca (sudoeste da Colômbia)

Nicolás Valencia Lemus (39 anos) é crivado de balas ao sair do veículo e na presença de sua esposa e filho. Nicolás Valencia era irmão de líderes reconhecidos do movimento indígena Cauca. Este homicídio se soma aos que foram cometidos nos últimos dias como parte da estratégia de terror contra o processo indígena (11).

14 de outubro - O Governo colombiano responde com balas às ações da Resistência Social

As forças coercitivas do Estado colombiano reprimem as manifestações pacíficas dos indígenas que aconteciam na Rodovia Panamericana, no auge do setor María Piendamó, no marco da Minga de Resistencia e à espera de Álvaro Uribe. Os ataques deixaram muitos feridos, alguns deles em estado grave (12).

A Associação Indígena Cabildos del Norte del Cauca (ACIN) pede proteção à Corte Interamericana de Direitos Humanos para o uso excessivo da força contra o protesto pacífico desenvolvido em Cauca (13).

15 de outubro - Mais repressão contra os manifestantes que esperam pacificamente em María Piendamó que o governo mantenha sua nomeação (14).

O Exército, a Polícia e a ESMAD (Esquadrão Móvel Anti-Perturbações) começaram muito cedo a despejar violentamente os membros da comunidade indígena. Eles teriam entrado atirando com armas de longo alcance. Tanques e helicópteros entram para reforçar as tropas (14).

O Conselho Superior do CRIC oficializa que a ESMAD assassinou um membro da comunidade indígena com um facão e que o deixou caído junto a uma ponte, impedindo a entrada para sua respectiva retirada (14).

Um infiltrado das forças militares é detido pela guarda indígena. O nome dele fica conhecido… JAIRO DANILO CHAPARRAL SANTIAGO. É um soldado profissional, pertencente a uma contra-guerrilha que conseguiu imitar, dentro dos mobilizados, por suas facções claramente indígenas. No momento de sua prisão, o militar infiltrado carregava cuidadosamente roupas militares, telefones celulares e um caderno com instruções militares. A função do infiltrado era coletar informações, realizar ataques e assembléias contra as autoridades e outros membros das comunidades indígenas presentes em María Piendamó (15).

O saldo deixado pelo desempenho desproporcional dos esquadrões combinados da ESMAD e do exército colombiano entre 14 e 15 de outubro é de um morto e 89 gravemente feridos (Nota 2: os feridos posteriores deveriam ultrapassar cem), assalto e despejo de 8 famílias , que ocorreu no Território de Convivência, Diálogo e Negociação La María Piendamó, segundo informação divulgada pelo CRIC (16).

17 de outubro - Nova incursão repressiva contra os indígenas.

Mais uma vez, a brutalidade militar está presente no interior de La María (Cauca), onde se concentraram cerca de 10.000 indígenas desde o início da Minga de Resistência Social e Comunitária. Os acontecimentos seriam gravíssimos, já que as forças repressivas adentraram um território distante da rodovia Pan-americana (Nota 3: A rodovia Pan-americana é uma importante rodovia que liga com o Equador) (17).

18 de outubro - Consta que a Minga continua e que a partir de terça-feira, 21 de outubro, seguirá para Cali (capital do departamento de Valle del Cauca) (18). (Fim da Primeira Fase da Minga de Resistência Indígena e Popular)

23 de outubro - É relatado que a marcha irá para Cali.

25 de outubro - Grande Marcha Indígena e Camponesa chega a Cali. A previsão é que no dia seguinte haja um diálogo com Álvaro Uribe (19).

26 de outubro - Álvaro Uribe não comparece conforme acordado no Centro Comunitário Municipal (CAM) da cidade de Cali. (Fim da Segunda Fase da Minga de Resistência Indígena e Popular)

Aproximadamente quarenta e cinco mil pessoas, entre indígenas, camponeses, cortadores de cana, trabalhadores e estudantes compareceram ao CAM para um encontro entre os manifestantes e o presidente Álvaro Uribe, mas isso não acontecerá porque supostamente não haveria "segurança" suficiente dialogar na reunião (20).

Surpreendentemente, a mídia espalhou a notícia de que o ex-deputado Oscar Tulio Lizcano está em liberdade após ter fugido junto com um suposto integrante das FARC-EP que o teria ajudado a escapar. Essa é justamente a notícia que vai ser captada por todos os meios de comunicação importantes, nacionais e internacionais, e vai inundar os espaços informativos, que vão acabar ofuscando a reportagem do encontro entre o presidente e os manifestantes reunidos na Comunidade Municipal. Square (CAM) (vinte e um).


Após a reunião dos manifestantes e quando a maioria dos manifestantes havia saído, o presidente Álvaro Uribe apareceu. Atitude que foi mal recebida pelos que ainda permaneceram no local. E à nova proposta das lideranças indígenas de se reunir no dia seguinte dentro de um estádio, foi respondido que a agenda já estava lotada. Porém, o governo propôs, no dia seguinte, que no dia 2 de novembro na cidade de Popayán (capital do Departamento de Cauca, localizada no sudoeste da Colômbia), houvesse um diálogo com os indígenas (22).

02 de novembro - Encontro entre o presidente Alvaro Uribe e a Minga de Resistencia (Fim da Terceira Fase da Minga de Resistencia Indígena y Popular)

Nenhum acordo pode ser alcançado com o governo. Portanto, a minga continua (23). O “debate” público durou seis horas entre o governo e os representantes da minga. O governo não teve respostas concretas sobre os cinco pontos da agenda nacional (24), mas se dedicou a apresentar um relatório sobre os benefícios de seu governo, prometendo mais um debate e outras mesas redondas (23).

10 de novembro - Começa a marcha a Bogotá para os do oeste colombiano da Universidad del Valle, em Cali, de onde o presidente Álvaro Uribe deixou sua “cadeira vazia”. (Início da Quarta Fase da Minga de Resistência Indígena e Popular).

A mídia de massa se esforça para negar a Minga de Resistência

A Quarta Fase da Minga de Resistência está em andamento. Espera-se que até 21 de novembro o esperado debate político público entre a Minga de Resistencia e o governo colombiano seja organizado e especificado (25).

Dada a importância desta Grande Marcha que segue firmemente rumo à capital colombiana, os meios de comunicação ainda não lhe dão a importância que ela merece. Praticamente encontrar informações sobre a Grande Marcha - que atualmente está fazendo história - em alguns meios de comunicação de massa é sinceramente inútil. Todas as informações que pudermos encontrar somente poderão ser localizadas em mídias alternativas ou sites relacionados aos órgãos totalmente envolvidos com a Grande Minga dos povos.

Tanto local quanto internacionalmente, a Grande Marcha Histórica Colombiana está sendo desavergonhada pela mídia de massa, por não lhe dar a importância que merece. A CNN, por exemplo, atualmente está dando mais importância às famosas "pirâmides", que enganaram milhares de colombianos. Apesar disso, a Grande Marcha continua a ter força na sua convocação e força suficiente para ultrapassar alguns obstáculos que possam surgir à medida que avança.

O tratamento que eles dão na mídia de massa capitalista que bem conhecemos não é novo. Sabemos muito bem que só haverá plataforma quando houver um novo "Lizcano", uma nova "Betancourt", algumas "pirâmides" ou algumas "famosas" mansões em chamas na Califórnia.

No entanto, é de se esperar que a mídia de massa dê a ela a importância que ela merece ao perceber que é inútil continuar mantendo a negação atual. Não será fácil manter a atual posição de negação quando a Grande Marcha dos Povos entrar em triunfo na capital colombiana, Bogotá.

Diante dessa negativa, a comunidade internacional deve e deve estar mais alerta sobre o que pode acontecer no caminho para Bogotá. Aqui ... tudo pode acontecer. Neste momento, deter a marcha pode significar um massacre de proporções, já que o povo que avança está firmemente determinado a cumprir seus objetivos, por isso não poderia se coadunar com a atual ditadura de Uribe desacelerar significativamente a marcha se o que se quer é ficar com o FTA (EUA-Colômbia). Ou podem optar por uma alternativa que neste momento talvez seja impossível pensar: atrasar, de alguma forma, a chegada a Bogotá e fazer coincidir com a “famosa” marcha de Ingrid Betancourt pelos “sequestrados”, que é previsto para 28 de novembro, se não nos enganamos, e assim a ditadura de Uribe pode fazer um "gol inteligente" diante dos meios de comunicação, tanto locais quanto internacionais, e apresentar toda essa multidão, representando a Grande Minga dos Povos, como parte da convocação de um "fantasma" chamado Ingrid Betancourt, que dificilmente pode ser encontrado em "sua" marcha. Ela sabe muito bem que ele é o "companheiro" da última operação "Cheque". Portanto, não seria adequado para ele comparecer à "sua" marcha e querer se tornar um troféu de Uribe. A menos, é claro, que seja apoiado por um forte contingente “internacional”.

Nikolas Stolpkin - http://stolpkin.blogspot.com/2008/11/colombia-un-pueblo-armado-tan-slo-con.html

Fontes consultadas:

1) Indígena: a nova oposição. http://news.bbc.co.uk/hi/spanish/latin_america/newsid_7724000/7724980.stm

2) Chamada Nacional de mobilização e luta. http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=6&catid=1

3) Colômbia: a agitação indígena continua. http://news.bbc.co.uk/hi/spanish/latin_america/newsid_7683000/7683347.stm

4) Na Colômbia, 95% das violações dos direitos humanos ficam impunes. http://www.elespectador.com/noticias/judicial/articulo-colombia-el-95-de-violaciones-los-ddhh-quedan-impunes

5) AS AMEAÇAS CONTRA OS LÍDERES INDÍGENAS EM EL CAUCA TORNA-SE EFICAZ. http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=8&catid=1

6) ONIC: Rejeitamos indignados e exigimos justiça! http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=8&catid=1

7) Chamada Nacional de Mobilização e luta. http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=6&catid=1

8) ONIC ESTÁ SOLIDARIADO COM AS LUTAS DA ASONAL E CORTEROS DE CAÑA DEL VALLE DEL CAUCA http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=6&catid=1

9) CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=6&catid=1

10) EM TODOS OS RECURSOS DA COLÔMBIA, OS POVOS INDÍGENAS ESTÃO ENCHENDO O PAÍS DE ESPERANÇA http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=5&catid=1

11) Membro de comunidade indígena assassinado via Toribio, Cauca http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=5&catid=1

12) O governo responde com projéteis às ações da Resistência Social http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=5&catid=1

13) Solicitação urgente à Corte Interamericana de Direitos Humanos http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=5&catid=1

14) Ataque violento contra indígenas em La Maria - Piendamo http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=4&catid=1

15) Relatório das Autoridades Indígenas de Cauca sobre a infiltração de membros da força pública http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=3&catid=1

16) Esquadrões combinados da ESMAD e do exército colombiano agem… http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=3&catid=1

17) Urgente: pelo menos 9 feridos a bala…. http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=2&catid=1

18) Embora nunca se saiba, hoje a dignidade falou http://www.cric-colombia.org/noticias/index.php?show=1&catid=1

19) Marcha indígena chega a Cali e se prepara para dialogar com Uribe http://www.elespectador.com/articulo86120-marcha-indigena-llega-cali-y-se-prepara-dialogo-uribe

20) Estranha atitude do presidente Uribe… http://www.cric-colombia.org/noticias/?content=detail&id=152

21) Uribe não dialogará com os indígenas amanhã na Páscoa http://www.elpais.com.co/paisonline/notas/Octubre262008/uribecam%20.html

22) Governo propõe novo encontro com indígenas http://www.elespectador.com/noticias/nacional/articulo86170-uribe-no-dialogara-indigenas-lunes-porque-agenda-no-se-permite

23) AS RESPOSTAS DO PRESIDENTE NÃO FORAM CLARAS PARA OS POVOS INDÍGENAS! http://www.onic.org.co/minganoticias.shtml?x=35394

24) Os 5 pontos para debate http://www.cric-colombia.org/noticias/?content=detail&id=148

25) AGENDA DE LA MINGA RETORNADA A BOGOTÁ http://www.onic.org.co/minganoticias.shtml?x=35442


Vídeo: 150 anos da Guerra do Paraguai: bisneto de Solano López reivindica do Brasil o canhão cristão (Junho 2022).


Comentários:

  1. Ximon

    As mensagens pessoais são enviadas para todos hoje?

  2. Khufu

    A ideia notável

  3. Stantun

    Eu acredito que você estava errado. Tenho certeza. Eu proponho discutir isso. Escreva para mim em PM, ele fala com você.

  4. Hoh

    hee hee



Escreve uma mensagem