TÓPICOS

Falta de compromisso político para combater as mudanças climáticas

Falta de compromisso político para combater as mudanças climáticas


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Felix Nieto

As alterações climáticas estão a entrar na moda, alguns veem como uma grande oportunidade de negócio, dizem-nos que as energias renováveis ​​são a solução e que vão criar muitos empregos, é verdade. Outros nos dizem que nós, cidadãos, fazemos parte da solução, consumindo menos energia e conversando sobre isso com amigos, familiares e conhecidos, também é verdade.

Acabamos de chegar ao ponto sem volta, já sabemos que o aquecimento global é um fato, sabemos também que as Mudanças Climáticas estão sendo aceleradas pela queima de combustíveis fósseis (carvão, gás e petróleo). Os cientistas nos dizem que a temperatura global não pode subir mais que 2º C, e que para isso não devemos manter a concentração de gases na atmosfera abaixo de 450 partes por milhão, segundo dados de 2005 já estamos em quase 400 ppm. Como se não bastasse, agora também sabemos pelo relatório Stern que a inação vai nos custar 20 vezes mais, em vez de investir 1% do PIB anual, teremos que investir 20% em alguns anos.


As alterações climáticas estão a entrar na moda, alguns veem como uma grande oportunidade de negócio, dizem-nos que as energias renováveis ​​são a solução e que vão criar muitos empregos, é verdade. Outros nos dizem que nós, cidadãos, fazemos parte da solução, consumindo menos energia e conversando sobre isso com amigos, familiares e conhecidos, também é verdade.

O que não nos contam é como vamos evitar ultrapassar esse limite de 2ºC, tenho a impressão que pensam que se trocarmos as lâmpadas das nossas casas e tomarmos banho em vez de tomarmos banho, ou talvez pensem essa tecnologia vai avançar e não vai. É preciso tomar as medidas drásticas necessárias, não podemos perder mais tempo com isso. Precisamos de uma redução, nos países ricos, de 90% até 2030, e temo que nosso esforço individual, embora importante, não atinja os objetivos necessários.

O que é preciso mesmo é que os partidos políticos parem de pensar nas próximas eleições e passem a levar o touro pelos chifres (sem má intenção), em vez de atirar os mortos aos cidadãos e sugerir às empresas de energia que ponham o seu grão de areia , devem começar a fazer leis que penalizem severamente o uso de combustíveis fósseis e que apostem no transporte público sustentável.

Mas ao invés disso eles fazem o contrário, um exemplo é a venda de SUVs, aumentando ano após ano, em 2005 foram vendidas mais de 100.000 unidades, este ano já estamos indo para 108.940 no final de outubro. No total, na Espanha, mais de 1 milhão de carros são vendidos por ano. (1.528.849 em 2005, um ano recorde). 1


O Ministério do Desenvolvimento PEIT (Plano Estratégico de Infraestruturas e Transportes 2005-2020) “prevê um investimento de 241.000 milhões de euros, nomeadamente em estradas e caminhos-de-ferro, até que todas as capitais estejam ligadas por auto-estradas e AVEs”. Segundo o ministro, o trem de alta velocidade será a joia da coroa e passará dos atuais 1.000 km de trilhos para 10.000 em 2020. 2
Suponho que você saiba que um trem de alta velocidade consome muita energia, quase tanto quanto os aviões.
Relativamente a este último, o PEIT pretende “aumentar a capacidade das instalações aeroportuárias, duplicando a capacidade de absorção de tráfego da rede aeroportuária (de 165 para 311 milhões de passageiros por ano)”. 3
Somente esse aumento de capacidade anularia as reduções que poderíamos alcançar com nossa economia de energia e com o uso de painéis solares para aquecimento de água em todas as casas.
Portanto, temos duas opções ou talvez três.
- Ignore o assunto e nos resignemos ao nosso destino.
- Faça o que pudermos individualmente e espere o milagre (quem acredita neles).
- Exigir do governo que tome as medidas necessárias, por mais impopulares que sejam, para tentar resolver o problema.

Escolho a terceira, mas para que seja eficaz devemos fazer da luta contra as alterações climáticas a campanha política mais importante do nosso tempo.
Está em nossas mãos nada menos que o futuro das gerações futuras e o presente de milhares de pessoas que já estão morrendo direta ou indiretamente por causa das mudanças climáticas, e tudo para que continuemos desperdiçando energia e saindo de férias para o Caribe.

Portanto, devemos nos perguntar se realmente queremos evitar o caos climático ou apenas queremos nos sentir melhor sobre nós mesmos.


Referências:

1 http://www.anfac.es/global.htm
2 www.cadenaser.com 12- julho de 2005 entrevista com a Ministra de Obras Públicas Magdalena Álvarez
3 http://www.fomento.es/MFOM/LANG%5FCASTELLANO

* http://www.felixnieto.com/Globalizate


Vídeo: Mudanças no CONAMA e impactos socioambientais (Julho 2022).


Comentários:

  1. Murisar

    Um deus sabe!

  2. Jarret

    Que palavras necessárias ... Ótimo, uma frase magnífica

  3. Dami

    Eu parabenizo, seu pensamento simplesmente excelente

  4. Antiphates

    Peço desculpas, não posso ajudar nada, mas é garantido que, para você, ajudará a encontrar a decisão correta.

  5. Dominik

    AQUI NÃO REFERE

  6. Elihu

    Yeah, now it's clear ... And then I didn't really understand right away



Escreve uma mensagem