ALIMENTANDO

Isso acontece com o seu cérebro quando você come fast food

Isso acontece com o seu cérebro quando você come fast food

Se você gosta de fast food, como hambúrgueres e batatas fritas, por exemplo, você não está sozinho. Embora esses alimentos sejam deliciosos, a maioria deles é rica em açúcar, sal, conservantes e gordura saturada. Todos esses fatos contribuem para inúmeros problemas de saúde em seu corpo (incluindo seu cérebro) com o consumo excessivo.

Aqui estão algumas estatísticas para enfatizar a popularidade desses alimentos entre os americanos. Entre 2013 e 2016, quase 40% dos americanos admitiram consumir fast food regularmente. Essas estatísticas vêm diretamente de especialistas do CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças).

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE COMER FAST FOODS

O mesmo estudo publicado pelo CDC revelou o seguinte quando se trata de consumo de fast food na América:

A porcentagem de pessoas que consomem fast food regularmente é maior entre aqueles entre 20 e 39 anos. Dos entrevistados, cerca de 45% admitem que é sua principal fonte de nutrição. No entanto, a porcentagem parece diminuir com a idade.

O estudo revelou que apenas 37,7% das pessoas com idades entre 40 e 59 anos, juntamente com 24,1% das pessoas com mais de 60 anos, admitiram consumir fast food regularmente.

Mais adultos negros não hispânicos comem fast food do que adultos brancos não hispânicos, asiáticos não hispânicos e hispânicos.

A maioria dos americanos admitiu não apenas gastar mais em fast food, mas também comer fora com mais frequência à medida que sua renda aumentava.

O QUE ACONTECE COM O SEU CÉREBRO QUANDO VOCÊ COME DEMAIS FAST FOOD?

Agora temos uma melhor compreensão de como o fast food prevalece na América. A seguir, vamos examinar mais de perto como esses alimentos podem causar problemas de saúde.

Claro, todos nós ouvimos que comer alimentos ricos em gordura e sódio contribui para:

  • Obesidade
  • Diabetes tipo 2
  • Hipertensão
  • Certos tipos de câncer

No entanto, muitos não sabem dos danos que esses alimentos podem causar ao órgão mais importante do corpo: o cérebro. Na verdade, muito fast food também pode afetar negativamente a saúde do cérebro, contribuindo para o seguinte:

1 - DEPRESSÃO

Uma dieta que consiste principalmente em fast food pode levar a crises graves de depressão. ScienceDaily, um recurso online que cobre tópicos relacionados a descobertas em ciência, saúde, questões ambientais e tecnologia, publicou um estudo. Eles revelaram que quanto mais hambúrgueres, batatas fritas e pizzas um indivíduo come, mais esses alimentos afetam sua saúde física. E, à medida que sua saúde começa a se deteriorar, eles inevitavelmente ficam deprimidos. Além disso, muitos continuarão a consumir esses alimentos como forma de combater esses sentimentos negativos. E isso inicia uma espiral descendente que só piora as coisas.

2 - ANSIEDADE

Junto com a depressão, a ansiedade também pode ser causada pelo consumo excessivo de fast food. A maioria desses alimentos contém uma boa quantidade de carboidratos refinados. Isso pode fazer com que os níveis de glicose no sangue caiam perigosamente, o que pode levar a sentimentos de ansiedade. Além disso, níveis baixos de glicose no sangue podem levar a ataques de pânico, insônia e hipoglicemia.

Mas o que são carboidratos refinados? Eles são carboidratos com baixo teor de fibras, vitaminas e minerais. Também conhecidos como carboidratos simples, os carboidratos refinados incluem pão branco, massa de pizza, macarrão, farinha branca, arroz branco, sobremesas e alguns cereais.

Além disso, esteja ciente de que mesmo fast food comercializado como saudável pode causar ansiedade. Por exemplo, um artigo publicado pela livestrong.com revelou que muitos molhos para salada contêm uma grande quantidade de benzoato de sódio, um conservante comumente usado em alimentos ácidos. O benzoato de sódio pode desencadear ansiedade e também pode levar à diminuição da função motora se consumido em excesso. Junto com o molho para salada, o benzoato de sódio também é comumente usado em refrigerantes como uma forma de realçar o sabor do xarope de milho com alto teor de frutose.

3 - DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS

Ainda pior do que ansiedade e depressão, uma dieta rica em fast food, principalmente aqueles que contêm muito açúcar, pode levar a doenças neurodegenerativas. Essas condições incluem demência e Alzheimer.

A pesquisa mostra que consumir quantidades excessivas de fast food pode fazer com que o pâncreas produza muita insulina. Portanto, o cérebro pode desenvolver intolerância à insulina.

Para aqueles que podem não estar familiarizados com a resistência à insulina, é uma condição patológica em que as células não respondem adequadamente ao hormônio insulina. Se isso acontecer, pode impedir a capacidade do cérebro de criar e armazenar memórias. Eventualmente, pode dar lugar a demência, Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas.

4 - HIPERATIVIDADE

A maioria concordará que uma refeição de fast food não está completa sem um refrigerante refrescante; No entanto, essas bebidas, quando consumidas em excesso, têm sido associadas à hiperatividade. Estudos mostram que o açúcar, os corantes artificiais e o benzoato de sódio nessas bebidas podem desencadear uma onda de açúcar, que geralmente é caracterizada por sentimentos de nervosismo. Essa forma de hiperatividade pode durar de 30 a 40 minutos e pode incluir os seguintes sintomas:

  • Visão turva
  • Fadiga
  • Micção frequente
  • Dores de cabeça

5 - HABILIDADE DE APRENDIZAGEM DETERMINADA

Consumir fast food em excesso pode dificultar o aprendizado, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores e cientistas da RMIT University, uma universidade pública de pesquisa localizada na Austrália. O estudo revelou que muitos dos fast foods que adolescentes e adultos jovens mais gostam, como pizzas, hambúrgueres e batatas fritas, por exemplo, podem levar à diminuição da neuroplasticidade, a capacidade do cérebro de formar e reorganizar as conexões sinápticas. .

O desenvolvimento do cérebro humano não pára até que o indivíduo tenha 30 anos. Portanto, uma diminuição da neuroplasticidade pode ser especialmente problemática para adolescentes e adultos jovens. No entanto, o mesmo também pode se aplicar a idosos que já estão em risco de desenvolver uma doença neurodegenerativa.

6 - NEUROINFLAMMAÇÃO

Para aqueles que podem não estar familiarizados com a neuroinflamação, é um termo clínico usado para descrever a inflamação do hipocampo. Essa é a pequena região do cérebro que faz parte do sistema límbico e armazena a memória de curto e longo prazo.

Com o tempo, uma dieta rica em fast food pode fazer com que essa região do cérebro inche. Quando isso acontece, o hipocampo não pode mais receber mensagens de sinalização do estômago para indicar que está cheio, o que pode levar a comer demais e, pior, ao ganho de peso.

COMO EVITAR QUEDA EM TENTAÇÕES RÁPIDAS

Estudos mostram que a principal razão pela qual muitos americanos escolhem fast food em vez de refeições saudáveis ​​e nutritivas é que eles são mais convenientes. É difícil argumentar contra isso quando você considera que existe um McDonald's, KFC ou Burger King em quase todos os cantos de todos os bairros da América. É importante notar também que, para muitas pessoas, fast food é um vício, de acordo com um estudo publicado pelo National Institute of Health. Dito isso, vamos dar uma olhada em algumas maneiras de evitar a tentação e os desejos de fast food:

1 - PLANEJAMENTO DA REFEIÇÃO

Uma das melhores maneiras de não cair na tentação do fast food é por meio do planejamento das refeições, que envolve planejar um dia ou até uma semana de refeições saudáveis. Ao fazer isso, você terá menos probabilidade de ceder à tentação e aos desejos que, de outra forma, o levariam a comer fast food.

2 - MANTENHA-SE HIDRADO

Beber muita água não apenas mantém você hidratado, mas também faz você se sentir mais saciado, o que significa que você terá menos probabilidade de desfrutar de uma dieta pouco saudável. Além disso, beber pelo menos 8 copos de água por dia oferece vários benefícios à saúde, como prevenção da constipação, melhoria da saúde digestiva e prevenção de cálculos renais, por exemplo.

3 - COMA MAIS PROTEÍNA

Comer mais alimentos ricos em proteínas magras, como peru e peito de frango, pode ajudar a reduzir o desejo por comida, mantendo-o saciado por mais tempo. Claro, seria uma boa idéia ir para a variação grelhada ou assada quando se trata desses alimentos. Para ilustrar ainda mais este ponto, em um estudo compartilhado pela Healthline, as pessoas que aumentaram sua ingestão de proteínas em 25% viram uma diminuição significativa no desejo por comida.

4 - DORMIR BEM

Demonstrou-se que ter 7 a 9 horas de sono profundo e reparador a cada noite ajuda as pessoas a evitar cravings e tentações quando se trata de fast food e outros lanches não saudáveis. Um estudo recente revelou que pessoas com privação de sono são mais propensas a fazer escolhas alimentares inadequadas e também 55 por cento mais gostam de ter sobrepeso ou obesidade.

5 - COMA CONSCIENTEMENTE

Praticar uma alimentação consciente é outra ótima maneira de evitar desejos e tentações. Também pode beneficiar aqueles que lutam contra a compulsão alimentar. Em suma, a alimentação consciente é uma forma de meditação que permite que as pessoas se tornem mais autoconscientes. Além disso, essa prática aumenta a consciência dos hábitos alimentares, emoções e desejos quando se trata de comida. Com a prática, a maioria das pessoas pode ser muito hábil em distinguir desejos, tentações e fome física quando se trata do desejo de comer. Embora você possa praticar tecnicamente uma alimentação consciente enquanto desfruta do fast food, uma refeição saudável e balanceada seria uma opção muito melhor.

CHAVE PARA EVITAR FAST FOODS PARA MELHORAR SEU BEM-ESTAR

Uma dieta que consiste principalmente em fast food pode causar vários problemas de saúde. E, portanto, eles só devem ser consumidos com moderação. Em vez disso, você deve fornecer ao corpo alimentos ricos em nutrientes, como carnes magras, vegetais, frutas e carboidratos integrais, especialmente se seu objetivo é viver uma vida longa e saudável.


Vídeo: E Se Você Parasse de Comer Durante 7 Dias? (Janeiro 2022).