NOTÍCIA

Para evitar uma catástrofe climática, as emissões nas cidades devem ser reduzidas em 50%

Para evitar uma catástrofe climática, as emissões nas cidades devem ser reduzidas em 50%


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Até 2030, as emissões do consumo urbano devem ser reduzidas em 50% até 2030 e em 80% até 2050 para evitar uma crise climática “catastrófica”, alertou um estudo do grupo de cidades C40.

Emissões de gases de efeito estufa

A organização C40 reúne 94 das maiores cidades do planeta, onde vivem mais de 700 milhões de habitantes e um quarto da economia mundial se desenvolve.

A análise, a primeira dessa magnitude e realizada com a consultoria Arup e a British University of Leeds, é conclusiva: esse corte per capita é fundamental para manter a possibilidade de que o aumento da temperatura no final do século não ultrapasse 1,5 graus.

O maior esforço terá de ser feito pelos países europeus, os Estados Unidos e o Leste Asiático, que estão sendo solicitados a reduzir o impacto climático de seu consumo em dois terços na próxima década, onde as mudanças na alimentação, construção, roupas, transporte e eletrônicos.

Já América Latina, África e Sul e Oeste da Ásia têm o desafio de adotar modelos sustentáveis ​​em seu desenvolvimento.

Os avisos

O estudo calcula que as emissões relacionadas ao consumo de alimentos devem diminuir em um terço até 2030 e para isso seria necessário converter a dieta em vegetariana, consumir quantidades saudáveis ​​e evitar o desperdício de alimentos. O consumo anual de carne de uma pessoa pode ser reduzido dos atuais 58 quilos para 16. Comer menos carne vermelha e mais frutas e vegetais pode prevenir 160.000 mortes anuais relacionadas a ataques cardíacos, câncer ou diabetes.

Prefeitos C40, empresas e moradores da cidade também estão sendo instados a tomar medidas conjuntas para reduzir as emissões da construção em 26% até 2030, com incentivos para reduzir o uso de aço e cimento ou aproveitar ao máximo a capacidade do C40. edifícios

Em relação ao transporte, será necessário cortar as emissões relacionadas com o transporte rodoviário privado em 28%, ou 26% na aviação, sobre o que indica que “deverá haver uma redução média de 28% no número de voos entre cidades do C40 ".

Também a redução de voos e o uso de combustível sustentável poderiam evitar 70 milhões de dólares (62 milhões de euros) em danos derivados da poluição do ar. A redução do uso de veículos particulares em cidades C40 poderia economizar 170 milhões de metros quadrados de espaço de estacionamento na rua, em favor de cerca de 2,5 milhões de árvores ou 25.000 quilômetros de ciclovias.

As cidades que pertencem a esta rede também incluem Madrid, Barcelona, ​​Pequim, Hong Kong, Xangai, Tóquio, Seul, Berlim, Londres, Istambul, Roma, Cidade do México, Buenos Aires, Bogotá, Rio de Janeiro, Lima, Santiago de Chile, Nova York, Los Angeles ou Washington.

A responsabilidade não é só dos governos, as ações individuais se somam.


Vídeo: Setor automóvel tem de reduzir emissões de CO2 (Julho 2022).


Comentários:

  1. Berde

    Isso é uma coisa muito valiosa

  2. Jumoke

    Otpadddddd

  3. Lyza

    Você atingiu a marca. Nele algo também é para mim que parece que é uma boa ideia. Concordo com você.

  4. Dax

    eu já tenho

  5. O'shay

    Definitivamente uma ótima resposta

  6. Oxton

    Sim, uma boa escolha



Escreve uma mensagem