TÓPICOS

A terra suporta um excesso de produtos químicos

A terra suporta um excesso de produtos químicos


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O excesso de nitrogênio e metais traço, como arsênio, cádmio, chumbo e mercúrio, podem afetar o metabolismo das plantas e reduzir a produtividade das lavouras, alertou a FAO no dia 23 deste mês. “Quando entram na cadeia alimentar, esses contaminantes também representam riscos para a segurança alimentar, os recursos hídricos, a subsistência rural e a saúde humana”, ressaltou.

A questão ganhou destaque na Quinta Assembleia Plenária (AP) da Global Soil Partnership (GSP), que aconteceu este mês na sede da FAO em Roma.

“A poluição do solo é um problema emergente, mas por ocorrer de tantas maneiras, a única maneira de reduzir as lacunas de conhecimento e promover o manejo sustentável da terra é intensificar a colaboração global e construir evidências científicas confiáveis”, afirmou Ronald Vargas, Secretário do SGP.

“Combater a poluição do solo e buscar uma gestão sustentável ... é essencial para enfrentar as mudanças climáticas”, declarou Rattan Lal, presidente da União Internacional de Ciências do Solo, em seu discurso inaugural na Assembleia Plenária.

Combater os problemas causados ​​pelo homem por meio de práticas sustentáveis ​​significará "que mais mudanças acontecerão entre agora e 2050 do que durante os 12 milênios desde o início da agricultura", disse ele.

A Assembleia Plenária do GSP "é uma plataforma única, neutra e de múltiplas partes interessadas para discutir questões globais do solo, aprender com as boas práticas e deliberar sobre medidas para garantir solos saudáveis ​​para o fornecimento eficaz de serviços ecossistêmicos e alimentos para todos", disse María Helena Semedo, Vice-Diretor Geral da FAO.

“A ação em nível de país é a nova fronteira”, disse ele.

A Assembleia Plenária aprovou três novas iniciativas destinadas a facilitar a troca de informações: o Sistema Mundial de Informação do Solo, a Rede Global de Laboratórios de Solos, criada para coordenar e padronizar a medição entre os países, e a Rede Internacional de Solos Negros., Que visa melhorar conhecimento sobre os solos agrícolas mais férteis do mundo, também conhecidos por seu alto teor de carbono.

Poluição direcionada do solo

Cerca de um terço dos solos do mundo estão degradados, principalmente devido a práticas de manejo insustentáveis. Dezenas de bilhões de toneladas de terra são perdidas para a agricultura a cada ano, e uma das causas é a poluição, que em alguns países afeta um quinto das terras cultivadas.

O termo contaminação do solo refere-se à presença na terra de substâncias químicas que estão fora do lugar ou em concentrações mais altas do que o normal, produzidas pela mineração e pela atividade industrial ou pela má gestão do esgoto.

Em alguns casos, acrescenta a FAO, os poluentes se espalham por grandes áreas devido ao vento e à chuva. Os insumos agrícolas, como fertilizantes, herbicidas e pesticidas, e até mesmo os antibióticos contidos no esterco animal, também são importantes contaminantes potenciais e apresentam problemas especiais devido às fórmulas químicas, que são constantemente alteradas.

“A contaminação do solo é um risco traiçoeiro porque é mais difícil de observar do que outros processos de degradação ..., como a erosão. Os perigos apresentados dependem de como as propriedades do solo afetam o comportamento dos produtos químicos e a velocidade com que entram nos ecossistemas ”, acrescentou.

De acordo com a FAO, a diversidade de contaminantes e tipos de solo, bem como as formas como eles interagem, tornam os estudos de solo para determinar os perigos difíceis e caros.

Pisos pretos

A nova Rede Internacional de Solos Negros define solos negros como aqueles que contêm pelo menos 25 centímetros de húmus e com um teor de carbono orgânico superior a dois por cento. Por esta definição, eles cobrem cerca de 916 milhões de hectares, ou sete por cento da área de terra sem gelo.

Cerca de 25 por cento dos solos pretos são do tipo clássico "Chernozem", com uma camada de húmus de mais de um metro. Estes são encontrados nas regiões de cultivo de cereais da Europa Oriental e Ásia Central e nas antigas pastagens da América do Norte, acrescenta a FAO.

A International Black Soil Network visa promover a conservação e a produtividade de longo prazo dos solos negros por meio de relatórios analíticos e serve como uma plataforma para compartilhamento de conhecimento e cooperação técnica.

Traduzido por Álvaro Queiruga


Vídeo: Pérola da terra na Cultura da Videira com a Embrapa (Julho 2022).


Comentários:

  1. Jocelina

    Eu acho que você não está certo. Eu posso provar.

  2. Dojin

    Between us speaking, weren't you trying to search google.com?

  3. Zolozragore

    Eu acho que você admite o erro. Eu posso provar.

  4. Ram

    Esta seção é muito útil aqui. Espero que este post seja relevante aqui.

  5. Coilleach

    Você está cometendo um erro. Eu posso defender minha posição. Envie -me um email para PM, vamos conversar.

  6. Vudole

    Ela disse coisas inteligentes)



Escreve uma mensagem