TÓPICOS

Dicas para decorar sua casa sem contaminantes hormonais

Dicas para decorar sua casa sem contaminantes hormonais


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

É importante para a saúde manter o ambiente em nossas casas o mais limpo e saudável possível. Porque, embora surpreendente, as concentrações de poluentes hormonais (também chamados de desreguladores endócrinos ou EDCs) dentro das casas podem ser maiores do que a poluição do ambiente externo, como mostra este estudo do Instituto Silent Spring.

Muitos elementos estruturais e decorativos podem nos expor a poluentes hormonais: móveis, equipamentos eletrônicos, tecidos, pisos e paredes podem liberar substâncias que alteram o sistema hormonal no ar interno.

As principais fontes de contaminantes hormonais em casa são os materiais sintéticos utilizados, como PVC (libera ftalatos), policarbonato (libera bisfenol-A) e outros plásticos, tratamentos aplicados em superfícies para evitar que queimem (retardadores de chama bromados) e tratamentos agentes antiaderentes e impermeabilizantes (com substâncias fluoradas), por exemplo.

Tóxico liberado de móveis e superfícies acumula-se em poeira. Na Espanha, a poeira doméstica tem altos níveis de poluentes hormonais, em média 706 nanogramas de ftalatos e 225 nanogramas de retardadores de fogo bromados por grama; tóxicos que ingerimos e respiramos durante as muitas horas que passamos dentro de nossas casas.

Esta exposição é particularmente preocupante no caso de crianças pequenas que, ao engatinhar e colocar objetos na boca, aumentam a sua exposição a contaminantes hormonais. Além disso, eles são a população mais vulnerável, pois alguns de seus sistemas corporais ainda estão em formação e sua capacidade de eliminar toxinas é menor.

Os efeitos negativos para a saúde derivados da exposição a desreguladores endócrinos, como o desenvolvimento de câncer em órgãos sensíveis aos hormônios (mama, próstata ou tireóide), problemas no desenvolvimento neuronal e no sistema imunológico ou diabetes, são preocupantes o suficiente para revisar os materiais que nos rodeie em casa.

Escolha bem o que você está cercando em casa

A exposição aos desreguladores endócrinos pode ser reduzida com hábitos de higiene adequados, que já vimos neste post. E também, você pode dar um passo além e renovar gradativamente sua casa usando opções saudáveis ​​que não liberem mais poluentes.

“É possível reduzir e até evitar a presença de poluentes hormonais em nosso habitat; trata-se de cuidar dos materiais e equipamentos de acabamento de interiores existentes nas nossas casas e locais de trabalho ”.

Esta é a opinião dos bioarquitectos Mikel Martínez de Morentín e Silvia de Santos, que disponibilizam no seu blogue os seguintes conselhos específicos sobre materiais isentos de contaminantes hormonais.


O melhor conselho: evite materiais sintéticos!

Do chão ao teto, os bioarquitectos recomendam os seguintes materiais:

Pavimento natural: um material recomendado é o linóleo natural, feito de óleo de linhaça misturado com farinha de madeira ou pó de cortiça. Também solos de cal, terra ou gesso. Evite o PVC que libera poluentes como ftalatos e dioxinas (estas últimas em caso de incêndio).

Ladrilhos: Recomenda-se a utilização de ladrilhos de terracota, pedra hidráulica ou pedra natural. Por outro lado, os ladrilhos antigos podem conter chumbo ou cádmio tóxico.

Melhor madeira do que carpete: os carpetes são uma fonte de poluentes hormonais tanto por seus materiais (como o PVC) quanto por adesivos fixos, retardadores de chama e substâncias perfluoradas.

Escolha vernizes e tratamentos naturais em vez de vernizes de poliuretano, óleos minerais, polidores ou colas.

Para as paredes, use tintas naturais: cal, silicato, argila ou caseína com aditivos de pigmentos naturais. Tintas, vernizes e lacas sintéticas podem liberar tóxicos voláteis no ar interno que poluem o ar por meses e até anos.

Materiais isolantes como fibra de madeira, cortiça, palha, cânhamo são uma boa alternativa aos isolantes de estireno e poliuretano, substâncias que libertam poluentes hormonais.

Escolha móveis de madeira maciça, placas de três camadas ou compensado: móveis de aglomerado não são recomendados, que usam colas tóxicas, bem como retardadores de chamas e tratamentos com pesticidas. Aplicar tratamentos na madeira com ceras, óleo de linhaça e verniz natural.

Estofamento: os materiais têxteis mais saudáveis ​​são aqueles feitos de fibras naturais como cânhamo, linho, seda, sisal, algodão ou sumaúma.

Material eletrônico: o equipamento eletrônico possui tratamentos retardadores de chama com substâncias que podem ser desreguladores endócrinos, como PBDEs. Além disso, por serem feitos de plástico, eles liberam plastificantes como os ftalatos (ver estudo sobre a presença de EDCs em controladores de videogame). Recomenda-se escolher equipamentos que, no mínimo, estejam em conformidade com a Diretiva RoHS sobre restrições ao uso de certas substâncias perigosas (Chumbo, Mercúrio, Cádmio, Cromo Hexavalente, (PBB) (PBDE) em equipamentos elétricos e eletrônicos.

Fiação e iluminação: use cabos sem halogênio e sistemas de iluminação LED ou lâmpadas incandescentes. Evite lâmpadas fluorescentes, pois elas apresentam exposição desnecessária ao mercúrio, um veneno poderoso, além de um desregulador endócrino.

Além dessas opções, uma dica simples para reduzir a poluição interna é arejar sua casa duas vezes por dia.

Livre de contaminantes hormonais


Vídeo: Decoração de Parede - 12 Ideias - COMO DECORAR A CASA GASTANDO POUCO (Julho 2022).


Comentários:

  1. Gordy

    Na minha opinião, você admite o erro. Entre que discutiremos. Escreva para mim em PM, vamos lidar com isso.

  2. Secg

    Sua mensagem, apenas a graça

  3. Ruanaidh

    Tenho certeza que você foi enganado.

  4. Tailayag

    Desculpe, mas isso não funciona muito para mim. Quem mais pode sugerir?

  5. Negor

    Que palavras necessárias ... super, uma ideia magnífica



Escreve uma mensagem