TÓPICOS

O planeta venceu! Brasil cancela construção de mega barragem no Amazonas

O planeta venceu! Brasil cancela construção de mega barragem no Amazonas


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A decisão foi celebrada pelo Greenpeace, que nos últimos meses reuniu mais de um milhão e meio de pessoas em todo o mundo para rejeitar a megarpresa de São Luiz do Tapajós e pressionar empresas multinacionais como a Siemens a se distanciarem do projeto. Se sua construção fosse permitida, os danos causados ​​ao meio ambiente e à vida do povo Mundurukú, que habitam a área, teriam sido irreversíveis.

“Nós, o povo Mundurukú, estamos muito felizes com esta notícia. Agora continuaremos lutando contra outras barragens em nosso rio ”, disse Arnaldo Kabá Munduruku, Chefe Geral dos Mundurukú.

O Greenpeace exige que o governo brasileiro conclua imediatamente a demarcação territorial do povo Mundurukú. “Agora que a licença foi cancelada, o Ministério da Justiça brasileiro deve reconhecer sua obrigação e agir rapidamente para demarcar oficialmente o território Sawré Muybu”, disse Leonel Mingo, membro da equipe de campanha do Greenpeace.

Outras agências brasileiras, como a FUNAI (Fundação Nacional do Índio) e o Ministério Público do Estado do Pará, recomendaram ao IBAMA o cancelamento da licença porque o projeto deslocaria o povo Mundurukú, violando a constituição brasileira. Dessa forma, parte do território Mundurukú, que hoje está em processo de reconhecimento oficial como terra indígena, teria sido alagado pela ação da barragem.


Além da barragem de São Luiz do Tapajós, há outros 42 projetos de hidrelétricas planejados para serem construídos na bacia do rio Tapajós e mais centenas na Amazônia, dentro de um modelo econômico agressivo que não leva em conta a importância de proteger a floresta tropical, a Amazônia e seus habitantes. Barragens construídas anteriormente na Amazônia tiveram impactos negativos significativos sobre as comunidades e o meio ambiente, e foram envolvidas em escândalos de corrupção.

A organização ambientalista exige também que o Brasil modifique sua matriz energética com fontes verdadeiramente renováveis ​​e se torne líder mundial em energia eólica e solar.

Paz verde


Vídeo: Construindo Estádios Arena da Amazonia - Building the world cup ep 2 (Pode 2022).