TÓPICOS

O Greenpeace organiza uma corrida popular de “zumbis” em cinco usinas nucleares

O Greenpeace organiza uma corrida popular de “zumbis” em cinco usinas nucleares


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O Greenpeace organizou cinco corridas populares simultâneas com o tema zumbi em torno de cinco outras usinas nucleares para 30 de outubro.

As corridas, denominadas “Nuclear Running Dead”, vão ter, segundo a organização, um carácter lúdico, desportivo, muito visual e aberto a todos os públicos.

As provas, que terão lugar na véspera da festa de Halloween, estão agendadas em Miranda de Ebro (Burgos), L ”Ametlla de Mar (Tarragona), Gárgoles de Abajo (Guadalajara), Saucedilla (Cáceres) e Valência.

O Greenpeace, que está convocando um evento deste tipo pela primeira vez na Espanha, informou hoje que não é um protesto ou manifestação, mas sim corridas com as quais quer tornar visível o lado mais “zumbi” da energia nuclear, ” Concluída apesar dos esforços do setor e de seus beneficiários para mantê-la viva. "

Os participantes, que poderão se inscrever no site http://www.nuclearrunningdead.org/., Poderão competir em duas categorias nas distâncias de 10 e 4 quilômetros, respectivamente, e caracterizadas pelo tema zumbi, já que a organização colocará um serviço de maquiagem disponível em cada teste.

Para participar, será necessário contribuir com uma taxa de inscrição de 5 euros, dos quais o Greenpeace destinará uma à associação Chernobyl Elkartea, que trabalha desde 1995 pelo bem-estar das crianças que ainda sofrem as consequências do desastre nuclear de Chernobyl.

Espanha, seis nucleares

Ainda operam seis usinas na Espanha, incluindo Garoña, cuja vida útil terminou há mais de três anos e que não produz eletricidade, mas não foi definitivamente encerrada.

O Greenpeace acredita que o parque nuclear deve ser substituído por energia limpa quando terminar sua vida útil, o que acontecerá no início da próxima década.

A organização identifica a energia nuclear como uma energia “zumbi”, pois, além dos esforços para manter as usinas vivas ao final de sua vida, deixa um legado tóxico de toneladas de resíduos radioativos, que permanecerão por milhares de anos como uma ameaça ao as pessoas e o meio ambiente.

EFEverde


Vídeo: O quanto a natureza ganha com o mundo parado? (Pode 2022).