TÓPICOS

Tailândia bombardeou floresta desmatada com sementes

Tailândia bombardeou floresta desmatada com sementes


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O governo tailandês acredita ter encontrado a maneira mais fácil e rápida de reflorestar áreas danificadas por atividades como a agricultura.

Esta primeira missão foi realizada na região florestal de Phitsanulok, em uma área de aproximadamente 800 hectares. Nos próximos cinco anos, os resultados dessa ação serão acompanhados e avaliados, com a expectativa de que já no final de 2017 haja mudanças notáveis.

As bombas incluem sementes de árvores locais como phayungs, mongs, maka e kaboks, envoltas em uma mistura de solo, argila e composto, para facilitar a germinação. O conceito de 'bombas de sementes' foi criado pelo agricultor, biólogo e filósofo japonês Masanobu Fukuoka, autor de um método de cultivo natural. Com o aperfeiçoamento da técnica e o uso de aviões, é possível plantar cerca de 900 mil árvores em um dia.

O registro mais antigo de "bombardeio de sementes" data de 1930, quando aviões foram usados ​​para reflorestar algumas áreas nas montanhas de Honolulu, Havaí, após incêndios florestais. Na África, essa técnica é usada para semear pastagens para alimentar o gado.

Outro projeto que merece destaque é o 'SeedBomb', ideia da empresa Lockheed Martin Aerospace para reflorestar a Terra com bombas aéreas compostas por cápsulas de plástico biodegradáveis, que contêm um solo artificial cultivado com sementes, a serem lançadas a partir do ar.

Evidentemente, essas técnicas não são amplamente utilizadas devido ao custo de se ter aviões, mas é uma opção que pode ser levada em consideração para a situação atual de nosso país. Lembremos que relatório recente da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) coloca Brasil, Paraguai e Argentina entre os dez países que mais desmantelaram nos últimos 25 anos. Entre 1990 e 2015 nosso país perdeu mais de 7,6 milhões de hectares (área semelhante à da Escócia), a uma taxa de 300 mil hectares por ano.

O federal



Vídeo: Conheça a Angelim Vermelho, a maior árvore da Amazônia (Pode 2022).