TÓPICOS

Bebidas muito quentes, causa "provável" de câncer de acordo com a OMS

Bebidas muito quentes, causa


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) divulgou os resultados da avaliação do potencial carcinogênico do café, da erva-mate e de outras bebidas muito quentes. Um resumo das descobertas foi publicado hoje no The Lancet Oncology.

Após uma avaliação completa de toda a literatura científica relevante disponível ao público - mais de mil estudos - um grupo de 23 especialistas internacionais convocado pela IARC não encontrou nenhuma evidência conclusiva de um efeito cancerígeno do consumo de café ou mate.

No entanto, os especialistas descobriram que beber bebidas muito quentes "provavelmente" causa câncer de esôfago em humanos (grupo 2A). “Esses resultados sugerem que é a temperatura, e não as próprias bebidas, que é a responsável”, diz Christopher Wild, diretor do IARC.

Conforme especificado pelo comitê de 23 especialistas reunidos para esta questão, bebidas muito quentes são aquelas que são consumidas em temperaturas acima de 65 ° C.

Estudos realizados em locais como China, República Islâmica do Irã, Turquia e países da América do Sul, onde o chá ou a erva-mate são tradicionalmente bebidos muito quente (a aproximadamente 70 ° C), descobriram que o risco de câncer de esôfago aumenta com a temperatura em que a bebida é consumida.

"Fumar e beber álcool são as principais causas de câncer de esôfago, particularmente em muitos países desenvolvidos", enfatizou Wild. "No entanto, a maioria dos cânceres de esôfago ocorre em partes da Ásia, América do Sul e África Oriental, onde bebidas muito quentes são bebidas regularmente e as razões para esta alta incidência não são bem compreendidas."

O câncer de esôfago é a oitava causa mais comum dessa doença em todo o mundo e uma das principais causas de morte associada, com aproximadamente 400.000 mortes registradas em 2012 (5% de todas as mortes por câncer).

Mate e café, sem suspeitas

De acordo com os resultados publicados, o consumo de erva-mate e café em temperaturas não muito altas não é classificado como carcinógeno humano (grupo 3 da classificação IARC).

No caso do mate, isso se baseia em evidências insuficientes em humanos e animais de experimentação para a carcinogenicidade da erva-mate fria ou quente.

Para o café, o grande corpo de evidências atualmente disponível levou à reavaliação da carcinogenicidade do consumo de café, classificado pelo IARC como possivelmente carcinogênico para humanos (grupo 2B) em 1991.

Muitos estudos epidemiológicos mostraram que o consumo de café não teve efeitos cancerígenos para câncer de pâncreas, mama e próstata, e um risco reduzido foi observado para câncer de endométrio e fígado. Para mais de 20 outros tipos de câncer, as evidências são inconclusivas.

Referências bibliográficas:
Dana Loomis, Kathryn Z Guyton, Yann Grosse, Béatrice Lauby-Secretan, Fatiha El Ghissassi, Véronique Bouvard, Lamia Benbrahim-Tallaa, Neela Guha, Heidi Mattock, Kurt Straif em nome da Agência Internacional para o Grupo de Trabalho de Monografias de Câncer. ‘Carcinogenicidade de beber café, mate e bebidas muito quentes’. The Lancet Oncology DOI: http://dx.doi.org/10.1016/S1470-2045(16)30239-X
Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer. Volume 116: café, mate e bebidas muito quentes. Grupo de Trabalho IARC. Lyon, França; 24 a 31 de maio de 2016. IARC Monogr Eval Carcinog Risks Hum (no prelo).
Foto da capa: Bebidas muito quentes são aquelas que são consumidas em temperaturas acima de 65 graus. / Fotolia

Agência SINC


Vídeo: Ansiedade, compulsão alimentar, autoboicote, Depressão, stress e alimentação - Felipe Nassau Nutri (Pode 2022).