TÓPICOS

FAO pede sistemas alimentares responsáveis ​​pela sociedade e pelo meio ambiente

FAO pede sistemas alimentares responsáveis ​​pela sociedade e pelo meio ambiente


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em conversa com representantes do governo, sociedade civil e setor privado, Semedo pediu o estímulo ao crescimento econômico sustentável e garantiu: “O futuro da agricultura vai depender de como enfrentaremos as ameaças das mudanças climáticas e da degradação ambiental”.

Com o objetivo de promover as economias verdes, o economista-chefe do Ministério da Agricultura da Irlanda, Sinéad McPhillips, apresentou a iniciativa "Origem Verde" ("Origem Verde") com a qual seu país pretende desde 2012 aumentar as exportações de alimentos e bebidas produzindo-os de forma mais sustentável.

Segundo McPhillips, a Irlanda -que devido à sua pequena população exporta 90% dos alimentos que produz- aumentou o valor da sua produção agrícola em mais de 50% nos últimos cinco anos, em parte devido a este programa, que tem sido acrescentou meio milhar de empresas.

O responsável disse que neste período o Governo tem pactuado com agricultores, indústria, ONGs e grossistas estratégias agrícolas, que são continuamente revistas de acordo com os objectivos de cada sector e são implementadas por uma comissão chefiada pelo Ministério da Agricultura.

Também foi exposto o caso do Quênia, que tem um plano até 2030 que visa sua transformação em um país de renda média e industrializado, capaz de melhorar a qualidade de vida de seus habitantes em um ambiente “limpo e seguro”.

O diplomata queniano Fabian Sumba indicou que estão incentivando os cidadãos a "entrar nas cadeias de valor verdes", aludindo a sistemas alimentares sustentáveis ​​através dos quais os produtos agrícolas são produzidos, processados ​​e levados ao consumidor.

Para isso, frisou, contam com programas de apoio com os quais concedem subsídios para a compra de insumos e facilitam os empréstimos agrícolas.

Os representantes do setor privado e da sociedade civil, por sua vez, destacaram a necessidade de que os esforços não se limitem a determinados países e sejam aumentados em nível global.

Alison Cairns, chefe da multinacional Unilever, considerou importante fazer parcerias com todos os tipos de atores locais e dar prioridade aos produtos que vêm de países com políticas sustentáveis.

Por sua vez, o coordenador da organização Oxfam International, David Bright, destacou que nestas economias de escala “o grande desafio do modelo agrícola é garantir uma distribuição justa de custos, riscos e benefícios”.

Ela denunciou que em muitos casos os pequenos agricultores, especialmente as mulheres, continuam a ser marginalizados e destacou que a visão dos governos é necessária para a gestão de recursos “compartilhados”, como água ou terra.

Foto da capa: Agricultores colhem chá nos campos de Nayayo perto de Limuri, Quênia. EFE / Stephen Morrison

EFEverde


Vídeo: Alimentação sustentável: da consciência ecológica aos hábitos alimentares (Pode 2022).


Comentários:

  1. Fawzi

    Ela está falando sério?

  2. Amazu

    Notícia. Dar Onde posso encontrar mais informações sobre este tema?

  3. Akinokus

    É óbvio na minha opinião. Não vou dizer esse assunto.

  4. Beornham

    Quero dizer que você não está certo. Entre, vamos discutir isso. Escreva-me em PM.

  5. Taur

    Eu perdi alguma coisa?

  6. Holman

    Eu me registrei especialmente no fórum para participar da discussão deste assunto.



Escreve uma mensagem