TÓPICOS

Bioarroz, um fertilizante orgânico que dobra a produção agrícola

Bioarroz, um fertilizante orgânico que dobra a produção agrícola


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Se melhorássemos a fertilização, poderíamos aumentar a produção de arroz por hectare e, assim, diminuir o custo dos fertilizantes. O que acabaria com os restos de arroz.

A casca de arroz não tem valor comercial na África, está até se tornando um sério problema ambiental para eles.

A Bioarroz patenteou um processo que, por meio do verme vermelho californiano, recicla a casca de arroz, transformando-a em húmus sólido e líquido. No processo, o silício orgânico e o cálcio são extraídos.

O uso desse fertilizante dobra a produção de arroz por hectare, sem a necessidade do uso de produtos químicos que poluem o solo. Água também é economizada, pois menos irrigação é necessária.

Este húmus é adequado para a maioria das culturas. No vídeo você pode ver a diferença de cultivar com fertilizante de bioarroz.

Bioarroz é um projeto em que trabalham juntos pesquisadores espanhóis e colombianos que conseguiram transformar a casca de arroz em um fantástico fertilizante orgânico. Nos testes realizados, conseguiu dobrar a produção média de arroz.

Além de ser utilizado como fertilizante, o silício orgânico também é extraído no processo, que pode ser utilizado na indústria cosmética e farmacêutica, na regeneração de terras agrícolas.

Bioarroz resolve três problemas sérios ao mesmo tempo:

  • Produção eficiente de alimentos essenciais.
  • Reciclagem da casca de arroz, resíduo altamente poluente.
  • Regeneração de solos erodidos.

Se olharmos os dados oficiais da FAO, o arroz é o alimento mais consumido no mundo. Seu cultivo é essencial para alimentar a população mundial, principalmente nos países mais pobres.

Eco-invenções


Vídeo: Fertilizante Orgânico Composto I Terafértil (Pode 2022).