TÓPICOS

Começamos a atuar em relação às mudanças climáticas ou não teremos um amanhã

Começamos a atuar em relação às mudanças climáticas ou não teremos um amanhã


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Cristian Frers

É hora de deixarmos de falar de MUDANÇAS CLIMÁTICAS e agirmos agora ... O palco dos discursos, das coletivas de imprensa, o tempo das "boas intenções" acabou ... que só ficou nisso, nas boas "intenções", senão fazemos algo e é bem possível que não haja amanhã.

Estima-se que a temperatura média do planeta suba ainda mais em 2016, o que previsivelmente ultrapassará 2015 como o ano mais quente da história recente. O aumento nas temperaturas é atribuído principalmente ao aquecimento global, mas o fenômeno El Niño colocou a cereja no topo do bolo. Acredita-se com certeza que há 95% de chance de que as temperaturas globais subam entre 1,02 e 1,26 graus este ano, e apenas 5% de chance de que as temperaturas médias para o próximo ano fiquem abaixo das registradas no ano passado.

Acredito que uma opinião madura deve ser baseada em evidências; quer estejamos interessados ​​ou não, nos favoreça ou prejudique. Não pode ser baseado em otimismo ou pessimismo, que são apenas projeções de emoções. No campo da razão, devemos refletir sobre algumas evidências que há anos venho anunciando nos diversos meios de comunicação e por meio de páginas da internet como: Aumento da temperatura média da Terra, aumento do nível do mar e de sua temperatura, aumento da frequência e intensidade de eventos climáticos extremos, mudança nos ecossistemas, perigo de extinção de espécies vegetais e animais, secas, efeitos na agricultura e no espaço florestal e ... finalmente, impactos na saúde humana. El 22 de abril de 2016, el gobierno argentino anuncio la creación de un Gabinete de Cambio climático que deberá coordinar acciones con todos los ministerios y áreas de la administración publica y que, los mismos, deberán jerarquizar la capacidad del Estado y de las provincias para impulsar políticas sobre el cambio climático… Sera suficiente?… Alcanzara para remediar el daño que le estamos provocando al planeta?… Creo que el gobierno debería dar soluciones a los problemas… O, por lo menos empezar a prevenirlos… en vez, de teorizar sobre a mudança climática.

A origem dos problemas vem do fato de que os governos até agora não deram sinais claros e concisos aos empresários para mudar seus padrões de investimento. Assim, levando em consideração a energia que armazenam, e por não arcar com os custos da poluição que geram, os combustíveis fósseis são incrivelmente baratos e, portanto, não se pode esperar que as empresas os ignorem, a menos que tenham a certeza de que é para seu próprio benefício. Essa segurança só pode vir dos sinais que os governos lhes dão por meio de políticas, mas estes, em muitos casos, ainda não estão sendo sentidos.

Nessa tarefa é fundamental que os governos de todas as nações se envolvam, mas também temos que nos envolver com cada um dos cidadãos do planeta, é trabalho de todos e ainda chegamos na hora ... Embora cada vez seja mais curta. Sun Tzu na "Arte da Guerra e Estratégia" escreveu que a vulnerabilidade do inimigo depende dele, nossa própria invulnerabilidade depende de nós mesmos. O maior perigo paradoxalmente, tão arriscado como a mudança climática, comparável à maior das secas, com as piores enchentes, o frio mais extremo ou o calor mais prejudicial, é o declínio profundo que afeta o fornecimento desses bens básicos. Corrupção e preguiça são as verdadeiras catástrofes climáticas ... É hora de parar de falar e passar aos fatos.


Vídeo: O que diz a Ciência 012020 - Existe relação entre mudanças climáticas e a pandemia? (Pode 2022).


Comentários:

  1. Burgtun

    Eu acredito que você não está certo.

  2. Shelby

    Que sorte!



Escreve uma mensagem