TÓPICOS

Eles produzem 45 mil quilos de alimentos em 10 hectares

Eles produzem 45 mil quilos de alimentos em 10 hectares


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

“La Matilde” é um empreendimento agroecológico localizado em 60 hectares do Vale de Traslasierra –Córdoba–, onde até três anos atrás existiam nogueiras abandonadas, gado disperso e nenhuma plantação por falta de água. Em 10 dos seus hectares, a quinta –projectada pelo INTA Villa Dolores– gera mais de 45 mil quilos de alimentos: produz vinhas, fruteiras, oliveiras, nogueiras, legumes e pastagens, tem reservatórios de água para aquacultura e até incorpora uma fazenda de cabras.

“A biodiversidade permite superar as variáveis ​​econômicas do mercado, pois se o preço de um produto cair, o agricultor pode superar a crise graças à grande cesta de alimentos que geram”, explica César Gramaglia, do INTA Villa Dolores e assessor do projeto . Da mesma forma, ele destacou que os rendimentos são semelhantes nos sistemas agroecológico e convencional - conforme outras experiências da região. “A vantagem da agroecologia é que, ao evitar a compra de insumos, o custo total de produção cai entre 15 e 20% e aumenta a margem de lucro”, observou.

Gramaglia destacou o impacto do valor acrescentado na fonte no regime de produção que, no caso do leite de cabra, aumenta a rentabilidade em mais de 300%. Segundo ele calculou, um quilo de queijo custa US $ 200 e exige oito litros de leite para ser feito, o que equivale a um custo de produção de US $ 64 - US $ 8 o litro.

Os vegetais são vendidos in natura ou em lata, enquanto os aromáticos e medicinais são secos com energia solar e oferecidos ao público de forma fracionada. Também são feitos doces de frutas e está previsto o desenvolvimento de uma linha de azeites e vinhos orgânicos, como iniciativas de valor agregado.

“A produção gerada não abastece os mercados tradicionais, mas é transformada em produtos secundários e comercializada diretamente, da própria fazenda para reduzir a cadeia de intermediários”, disse o técnico. Nos 30 hectares de mata nativa que circunda a fazenda, o empreendimento realiza um projeto turístico para o qual foram instalados uma pousada de adobe e um restaurante, a ser inaugurado em breve. Os 20 hectares restantes são comercializados em terrenos de 2.500 m2 para a construção de casas ecológicas, utilizando materiais e energia renováveis.

Devido à falta de água para irrigação, alguns estudos diagnósticos verificaram a existência do recurso no subsolo e isso permitiu realizar uma perfuração que, por meio de uma bomba, enche uma barragem e abastece um sistema de irrigação por gotejamento. “Como a vazão ainda era insuficiente, foram feitas escavações nos desníveis do terreno que, impermeabilizados com mantas de plástico, captam a água da chuva”, acrescentou Gramaglia.

Esses reservatórios regulam a temperatura e a umidade do ambiente e refratam a luz solar - o que acelera o processo de fotossíntese nas plantas. Também promovem o desenvolvimento da aquicultura para autoconsumo e são fonte de água em situações de incêndio. “Além de pensar no agronômico, é preciso planejar a gestão da água para sua captação, condução, armazenamento e posterior redistribuição para fins produtivos ou para consumo humano”, resumiu.

Segundo Gramaglia, o esterco extraído do rebanho caprino é reaproveitado para a produção de fertilizantes orgânicos que aumentam a fertilidade da terra e melhoram a produtividade das lavouras. Esta prática é complementada com a semeadura de pastagens nas entrelinhas das plantas, fruteiras e vinhas que, por sua vez, são utilizadas na preparação de fertilizantes e na alimentação do gado. Por sua vez, o técnico indicou que “as ervas daninhas são controladas apenas na área de projeção das árvores frutíferas, enquanto podem crescer no espaço entre as plantas para promover a biodiversidade e constituir um reservatório de inimigos naturais, fundamentais na controle de pragas ”. “Quando um equilíbrio biológico é alcançado, o mesmo sistema neutraliza os inconvenientes que podem afetá-lo e não são necessários insumos”, acrescentou.

Para baixar o Inta Especial de Agroecologia Sustentável e Eficiente, acesse este link: http://intainforma.inta.gov.ar/wp-content/uploads/2015/10/158_agroecologia_.pdf

O federal


Vídeo: Tifton 85 (Pode 2022).


Comentários:

  1. Piers

    Esta variante não chega perto de mim. Quem mais pode dizer o quê?



Escreve uma mensagem