TÓPICOS

Seca revive um templo do século 16 de uma barragem no sul do México

Seca revive um templo do século 16 de uma barragem no sul do México


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Embora grande parte do México tenha duas frentes frias, a prolongada seca no istmo de Tehuantepec, no estado de Oaxaca, no sul, fez com que um templo dominicano do século 16 se erguesse das águas de uma barragem na qual estava submerso.

A barragem Benito Juárez, localizada no município de Jalapa del Marqués, reduziu seu nível de água em 50% nos últimos anos, revelando a parte superior do templo, formada por uma abóbada que une duas cúpulas.

A história do templo, construído em pedra e tijolo, remonta a meados do século XVI, na localidade conhecida como Jalapa Viejo.

É então que se têm as primeiras referências documentais deste grupo, integradas por igreja, capela aberta e convento, que foi pensado para os religiosos dominicanos que se encarregaram de evangelizar a região.

Submerso desde 1962, quando a barragem foi construída

Em 1859 foi posto à disposição do Governo pela lei de confisco promovida pelo então presidente Benito Juárez e só em 1962 foi construída a barragem que o enterrou.

Embora preserve grande parte de sua estrutura, o passar do tempo favoreceu a deterioração de parte dos elementos do templo.

Há cerca de dez anos "caiu a cruz" e "tivemos também a torre sineira (...), há pouco tempo foi demolida", disse à EFE Miguel Olivera, pescador que leva turistas às ruínas com o seu barco.

“Se a situação continuar crítica, chegará o momento de secar completamente”, afirma o pescador.

A barragem continua baixando o nível e já está com 40% de sua capacidade, segundo a Comissão Nacional de Águas (Conagua).

Fornece água para as fazendas de 25 municípios de Oaxaca e para uma refinaria próxima.

Segundo o meteorologista do Conagua Julio Salazar, os níveis “mais críticos” de seca no estado concentram-se nas populações do istmo.

Foto: Vista da barragem Benito Juárez, da qual emerge a cúpula de um templo do século 16 devido à seca. EFE / STR

EFEverde


Vídeo: MINAS GERAIS BRUMADINHO. MOMENTO EXATO DO TERRO DA BARRAGEM (Pode 2022).