TÓPICOS

Os 10% da população com maior renda econômica são responsáveis ​​por 50% das emissões globais

Os 10% da população com maior renda econômica são responsáveis ​​por 50% das emissões globais


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Apesar de serem os que mais sofrem com as consequências de fenômenos extremos ligados às mudanças climáticas, como secas e tempestades, os 3,5 bilhões de pessoas que constituem a metade mais pobre da população do planeta geram apenas 10% das emissões globais.

Essa é uma das conclusões de um estudo que a Oxfam publicou em dezembro passado e que mostra que os 10% mais ricos da população são responsáveis ​​por cerca de 50% das emissões globais.

O relatório (link is external), denominado "a extrema desigualdade das emissões de carbono", oferece novas estimativas sobre o nível de emissões derivadas dos hábitos de consumo de cidadãos ricos e pobres de diferentes países.

Embora as emissões estejam aumentando rapidamente nos países em desenvolvimento, observa-se que grande parte é derivada da produção de bens que são consumidos em outros países, o que significa que as emissões associadas aos hábitos de consumo da grande maioria dos cidadãos desses países são ainda muito inferior ao de suas contrapartes nos países desenvolvidos.

Por exemplo, o relatório revela que a pegada de carbono média do 1% mais rico da população mundial é 175 vezes maior que a dos 10% mais pobres e que a pegada de carbono total da metade mais pobre da população chinesa (mais de 600 milhões de pessoas) equivale a apenas um terço dos 10% mais ricos da população dos Estados Unidos (aproximadamente 30 milhões de pessoas).

“Os maiores e mais ricos emissores devem ser responsabilizados pelas emissões que geram, não importa onde vivam. É fácil esquecer que as economias em desenvolvimento mais rápido também abrigam a maioria das pessoas mais pobres do mundo e que, embora também devam contribuir de forma justa ao reduzir suas emissões, são os países ricos que devem assumir metas de redução mais altas ", disse Tim Gore, especialista em clima e política alimentar da Oxfam.

De acordo com um relatório recente do Banco Mundial, as pessoas mais pobres são freqüentemente as mais vulneráveis ​​e menos preparadas para lidar com os efeitos das mudanças climáticas, independentemente de onde vivam. Secas, inundações e tempestades atingiram igualmente países como os Estados Unidos e as Filipinas. Além disso, as mulheres, principalmente as que vivem em comunidades rurais, são as que se encontram em situação de maior risco, visto que, habitualmente, dependem da agricultura e carecem de outras alternativas de subsistência ...

Clima latino


Vídeo: Resolvendo uma QUESTÃO de CONJUNTOS renda PER CAPITA (Pode 2022).