TÓPICOS

Tartarugas marinhas começam a desovar nas praias de Porto Rico

Tartarugas marinhas começam a desovar nas praias de Porto Rico


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

La temporada de anidaje de tinglares en las playas de Puerto Rico ha comenzado oficialmente, con el registro de la primera llegada de una de estas tortugas marinas, las mayores del mundo, a las costas de la Reserva Natural Corredor Ecológico del Noreste (RNCEN) de a ilha.

O anúncio foi feito hoje pela secretária do Departamento de Recursos Naturais e Ambientais (DNER) de Porto Rico, Carmen Guerrero, que especificou em nota que a tartaruga fez ninho em uma das praias desta reserva natural na madrugada desta quinta-feira, 25 de fevereiro.

La temporada de anidaje de tinglares -un animal que desde 1970 está incluido en la lista de especies en peligro de extinción- comienza a partir del mes de marzo, por lo que la temporada de este año ha comenzado un poco más temprano de lo normal, a ponto.

No ano passado, o primeiro ninho de tinglar também foi registrado em fevereiro e foi encontrado na praia de Isla Verde, na região metropolitana de San Juan.

Entre as costas de Porto Rico, as fêmeas do tinglar tendem a escolher as praias do litoral norte para a desova, pois suas ondas mais altas facilitam o acesso à areia e o consequente retorno ao mar.

Todos os anos, este animal altamente migratório desce do Canadá para os trópicos para procriar. Após a postura dos ovos durante a temporada que abrange mais ou menos março a junho ou julho, costumam eclodir nas praias da região entre julho e setembro.

No ano passado, foram registrados 353 ninhos

O ninho encontrado esta semana foi marcado para sua proteção e será guardado por voluntários do grupo Tortuguero do CEN e membros do Corpo de Vigilantes que colaboram diretamente com o gestor da reserva natural, Ricardo Colón, e o coordenador de sua tartaruga projeto Marinas, Rosaly Ramos.

“Uma de nossas áreas naturais protegidas recentemente designadas, a Reserva Natural do Corredor Ecológico do Nordeste, com sua diversidade de habitats e riqueza de recursos, torna-se este ano o cenário do primeiro ninho de tosquia em Porto Rico”, Guerrero comemorou hoje em referência a uma área onde 353 ninhos foram registrados no ano passado.

Em sua opinião, “estas manifestações da natureza injetam grande energia nos quadros da agência e nas comunidades que não cessam seus esforços para proteger esta área especial cuja proteção perpétua foi alcançada em abril de 2013, quando o governador Alejandro García Padilla fez sua designação como reserva natural em lei ”.


O tinglar, dois metros e 600 quilos de tartaruga

Os meses com maior atividade de nidificação desta tartaruga marinha, que pode crescer até sete pés (mais de dois metros) de comprimento e pesar até 1.400 libras (cerca de 635 quilos), são entre abril e junho, quando todos os tipos de grupos ambientais e voluntários para tentar proteger os ninhos.

“Como a temporada de nidificação dos galpões em Porto Rico está começando agora, pedimos aos cidadãos que mantenham as praias sem lixo e sem poluição luminosa para garantir processos de nidificação bem-sucedidos”, afirmou o Secretário de Recursos Naturais.

Além disso, lembrou que quem detectar um ninho ou vir pegadas na areia a partir da passagem de uma dessas tartarugas deve contatar imediatamente o Centro de Comando do Corpo de Guardas do DNER e manter uma distância significativa da tartaruga para permitir o processo de nidificação. perturbado.

Cerca de 2.000 ninhos em toda a ilha

O coordenador do Programa DNER Tartarugas Marinhas, Carlos Diez, explicou que em toda a ilha o ano de 2015 culminou com um total de 1.874 ninhos, ante 1.386 em 2013.

Os galpões têm comportamento bienal, portanto as estatísticas são comparadas entre anos alternados. Este aumento de 35% permitiu que cerca de 77.000 rebanhos nascessem na ilha no ano passado, em comparação com 67.000 dois anos antes.

“Em Porto Rico, estamos prontos e preparados para proteger e monitorar o processo de nidificação dessas tartarugas marinhas ameaçadas de extinção”, defendeu Guerrero.

EFEverde


Vídeo: Educação para a preservação de tartarugas (Pode 2022).