TÓPICOS

As religiões podem ajudar a superar a crise ecológica?

As religiões podem ajudar a superar a crise ecológica?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Leonardo Boff

Cada conhecimento, cada instituição e especialmente aquelas organizações que mais movem a humanidade, as religiões, devem oferecer o que está ao seu alcance. Do contrário, corremos o risco de chegar atrasados ​​e enfrentar catástrofes como na época de Noé.

Ignorando o fato, cada religião ou igreja tem suas patologias, seus momentos de fundamentalismo e radicalização a ponto de haver guerras religiosas cruéis, como foram tantas entre muçulmanos e cristãos, o que se pergunta agora é ver de que forma, com base em sua capital religiosa positiva, essas religiões podem convergir através das diferenças e ajudar a lidar com a nova era do Antropoceno (o homem como um meteoro arrebatador ameaçador) e a sexta extinção em massa que já está em andamento há muito tempo e se acelera cada vez mais.

Vamos tomar as três religiões abraâmicas como referência.

Primeiro, vamos olhar para a contribuição de judaísmo. A Bíblia Hebraica é clara ao compreender a Terra como um presente de Deus e que fomos colocados aqui para cuidar e guardá-la. “A terra é minha e vocês são hóspedes e estranhos” (Lv 25:23). Não podemos, como nenhum hóspede normal faria, sujá-lo, quebrar sua mobília, estragar seu jardim ou matar seus animais de estimação. Mas nos temos. É por isso que existe a tradição de Tikkum Olam, da "regeneração da Terra", como tarefa humana pelos danos que causamos. Também existe um senso de responsabilidade para com os não-humanos. Assim, antes de comer, cada um deve alimentar seus animais. Você não pode jogar fora o ninho de um pássaro que está cuidando de seus filhotes. O «domínio da terra» (Gn 1,28) deve ser entendido à luz do «cuidado e da guarda» (Gn 2,15), como quem administra uma herança recebida de Deus.

o cristandade ele herdou os valores do judaísmo. Mas acrescentou os seus próprios dados: o Espírito Santo habitou em Maria e o Filho em Jesus. Com isso ele assumiu de alguma forma todos os elementos da Terra e do universo. A Terra está entregue à responsabilidade dos seres humanos, mas eles não têm direito absoluto sobre ela. Eles são hóspedes e peregrinos e devem cuidar dela. São Francisco de Assis introduziu uma atitude de fraternidade universal e respeito por cada um dos seres, até pelas ervas silvestres. Porque o Deus cristão é um ser relacional, visto que é uma Trindade de Pessoas sempre relacionadas umas com as outras, o próprio universo e tudo o que existe são também relacionais, como o Papa Francisco tão bem expressou em sua encíclica.

o islamismo siga os passos do judaísmo e do cristianismo. Também para ele, a Terra e a natureza são criações de Deus, e foram entregues à responsabilidade do ser humano. No Alcorão é dito que temos nossa morada aqui e por um curto período de tempo podemos desfrutar de seus bens (Surah 2.36). O Altíssimo e Misericordioso dá-nos sinais através da riqueza e da diversidade da natureza que nos recordam constantemente a sua misericórdia, com a qual dirige o mundo (Sura 45,3). Rendição confiada a Allah (Islam) e a sua própria jihad (luta pela santidade interior) envolve cuidar de sua criação. Hoje, muitos muçulmanos despertaram para o ecológico e de Cingapura a Manchester pintaram suas mesquitas de verde.

Existem alguns pontos convergentes nessas três religiões: entender a Terra como uma dádiva e herança e não como um objeto a ser usado simplesmente à vontade, como a modernidade a entendia. O ser humano é responsável pelo que recebeu, tendo que cuidar e guardar (fazer frutificar e dar sustentabilidade); ele não é o dono, mas o zelador. A Terra com sua riqueza continuamente se refere ao seu Criador.

Esses valores são fundamentais hoje, pois a tradição técnico-científica trata a Terra como mero objeto de exploração, colocando-se fora e acima dela. Somos a Terra (Gn 1,28). É por isso que existe uma relação com ela, nossa apoiadora.

Além disso, todas as religiões desenvolvem atitudes hoje essenciais: respeito pela Terra e por tudo o que ela contém, pois as coisas são muito anteriores a nós e têm valor em si mesmas; veneração antes do mistério do universo. Respeito e veneração não só pelo Alcorão ou pela hóstia consagrada, mas por todos os seres, pois são sacramentos de Deus. Esta atitude impõe limites ao poder dominante que hoje está colocando em risco o equilíbrio da Terra e ameaçando nossa sobrevivência. A irracionalidade técnico-científica deve conhecer limites éticos, impostos pela própria vida que quer continuar vivendo e manter sua identidade. Se não, para onde iremos? Certamente não para a montanha das bem-aventuranças, mas para o vale das lágrimas.

Página de Boff no Koinonia


Vídeo: Pluralismo Religioso e Educação (Pode 2022).


Comentários:

  1. Lovell

    Eu acho que você está errado. Tenho certeza. Eu posso defender minha posição. Envie -me um email para PM.

  2. Mazulkree

    Acho o tema muito interessante. Dê com você que nos comunicaremos em PM.

  3. Mosegi

    Sinto muito, mas, na minha opinião, eles estavam errados. Vamos tentar discutir isso.

  4. Beldon

    Isso já foi discutido recentemente.



Escreve uma mensagem