TÓPICOS

Monte Maíz: segundo um estudo, metade dos meninos de 6 a 7 anos tem asma

Monte Maíz: segundo um estudo, metade dos meninos de 6 a 7 anos tem asma


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

De acordo com um estudo realizado por membros da cadeira de Clínica Pediátrica da Universidade Nacional de Córdoba e da Rede Universitária de Meio Ambiente e Saúde / Médicos de Municípios Fumigados, as crianças de Monte Maíz apresentam prevalência de asma bastante elevada em comparação com as taxas globais de a doença, bem como indicadores médios da província.

O trabalho mostra que das crianças de 6 a 7 anos, 52,43% têm asma, enquanto as taxas do Global Asthma Report de 2014 para a Argentina registram uma taxa de 10 a 20% nessa faixa etária.

Além disso, em crianças de 13 e 14 anos, a prevalência da doença encontrada em Monte Maíz é de 39,86 por cento, enquanto o indicador para o país do Global Asthma Report permanece em 10 a 20 por cento para essa faixa etária.

“O trabalho se chama 'Prevalência de Asma Brônquica em Município Agropecuário de Córdoba' ', faz parte da Análise Socioambiental de Saúde realizada em Monte Maíz em outubro de 2014 e será apresentado nesta sexta-feira no 37º Congresso Argentino de A pediatria, após ser avaliada e aprovada pelo comitê científico do Conarpe 2015 ”, afirmou o médico Medardo Ávila Vázquez, um de seus autores.

Avila Vázquez especificou que o aumento da prevalência na localidade agrícola também é observado quando comparado com estudos correspondentes à cidade de Córdoba ", onde o estudo de Isaac Fase III de 2013 encontrou uma taxa de 13,6 por cento. Em crianças de 13 e 14 anos . "

O médico explicou que esses grupos de corte são realizados internacionalmente (6 e 7 anos e 13 e 14), pois muitas crianças apresentam broncoespasmo na primeira infância, mas os ultrapassam entre 4 e 6 anos, e que também da puberdade há outro redução da prevalência.

Avila Vázquez também indicou que “o uso de broncodilatadores e a presença de sibilância no último ano foram considerados positivos para o diagnóstico de asma”.

As conclusões destacam “a prevalência de asma aumentou muito em relação às taxas globais e de Córdoba”, bem como a observação de “significativa contaminação ambiental com agroquímicos”. "Com base em estudos que associam pesticidas e asma, inferimos que há uma associação consistente sugerindo que eles podem contribuir para um aumento nos casos de asma."

O estudo é observacional, transversal, com levantamento geográfico e georreferenciamento de poluentes realizado por geógrafos da UNC, complementado com monitoramento de poluentes em amostras em matrizes ambientais realizado por químicos da Universidade Nacional de La Plata, e uma população estruturada inquérito realizado por médicos e estudantes de medicina.

O trabalho, também, faz parte do estudo que constatou aumento dos índices de câncer e outras doenças em Monte Maíz, e que despertou forte polêmica na UNC e em setores associados à produção agrícola.

A voz


Vídeo: Sugar: The Bitter Truth (Julho 2022).


Comentários:

  1. Juha

    Claro, peço desculpas, mas proponho ir para o outro lado.

  2. Johnnie

    Eu acho que você não está certo. Tenho certeza. Vamos discutir.

  3. Akinsanya

    Peço desculpas por interferir... Tenho uma situação parecida. Vamos discutir. Escreva aqui ou em PM.

  4. Deavon

    É notável, mensagem muito útil

  5. Adem

    Esta é a informação engraçada



Escreve uma mensagem