TÓPICOS

Calle 13 defende áreas protegidas na República Dominicana

Calle 13 defende áreas protegidas na República Dominicana


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A dupla de música urbana era contra uma mineradora, o que causaria problemas ambientais na área.

A dupla porto-riquenha Calle 13 falou em Santo Domingo a favor de declarar como área protegida as terras onde a multinacional Glencore estabeleceu seus planos de mineração para os próximos anos na República Dominicana.

“Vamos brindar porque Loma Miranda foi declarada parque nacional”, exclamou René Pérez, vocalista do grupo diante da euforia de milhares de pessoas reunidas dias atrás no estádio Olímpico de Santo Domingo durante o primeiro dia de shows do Festival Presidente. O cantor conhecido como "Residente" vestia uma camiseta com a inscrição "Miranda Parque Nacional" no peito e nas costas a frase "Falcondo Out", em referência à subsidiária dominicana da mineradora Glencore.

“O problema da Loma Miranda é uma questão ecológica para o nosso planeta, não tem mapas porque pertence a todos”, escreveu Residente em sua conta no Twitter após o show.

Vários grupos ambientalistas e acadêmicos, padres católicos e partidos políticos se manifestaram nos últimos anos contra a extração de minerais de Falcondo de Loma Miranda, 110 quilômetros a nordeste de Santo Domingo, por considerar que isso prejudicaria a biodiversidade e impactaria negativamente a geração de água na área, cujas nascentes irrigar a região de cultivo de arroz mais importante do país.

Um estudo das Nações Unidas confirmou alguns desses dados em 2013. David Soares, presidente da Falcondo, insistiu que em Loma Miranda não existem plantas ou animais em perigo de extinção e que tem pouca relevância como gerador de água.

A mineradora adquiriu 1.380 hectares em Loma Miranda em 2008 e insiste que a extração de materiais naquela área representa sua única alternativa, já que a mina que está em operação desde 1971 tem apenas cerca de quatro anos de vida útil.

Embora o Congresso bicameral tenha aprovado uma lei em agosto declarando os 42 quilômetros quadrados de Loma Miranda, incluindo as terras do Falcondo, como área protegida, o presidente Danilo Medina a vetou, alegando que violava vários artigos da constituição sobre direitos de propriedade e proteção de investimento estrangeiro. “Não levem a imprensa, agora é que o bom está chegando”, pediu René Pérez aos organizadores do Festival Presidente quando retiraram os fotojornalistas da frente do palco, após tirarem fotos durante as duas primeiras canções do show do Calle 13 .

Foi então que Residente sugeriu fazer um brinde para que Loma Miranda fosse declarada parque nacional. Caracterizado por suas canções de conteúdo social, o dueto porto-riquenho já se juntou a campanhas populares na República Dominicana em outras ocasiões, como quando em um concerto em janeiro de 2011 exigiu do governo uma alocação pela primeira vez e conforme estabelece a lei 4 % do PIB para a educação básica.

Milênio


Vídeo: Calle 13 hablando malo (Pode 2022).