TÓPICOS

Permacultura e educação, uma conexão necessária

Permacultura e educação, uma conexão necessária


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Durante minha viagem ao sul do Chile tive a oportunidade de conhecer alguns projetos educacionais que estão em andamento ou já estão dando os primeiros passos de sua jornada. Eles fazem isso com muito entusiasmo e entusiasmo. Neste espaço tentarei colocar em diálogo as iniciativas de La Minga Alegre, em Coyhaique; Escola Newen, em Castro (Ilha de Chiloé) e Escola Aldea el Bosque, perto de Reñaca.

O objetivo da crônica não é descrevê-los um a um em detalhes, uma vez que essa função já é cumprida pelos relatos do mapa coletivo Reevo. A intenção deste texto é, principalmente, destacar um elemento compartilhado entre essas experiências, um denominador comum que, do meu ponto de vista, sustenta boa parte de sua abordagem teórica e prática: a permacultura.

Vamos começar com o básico: o que é permacultura? Na década de 1970, dois ambientalistas australianos, Bill Mollison e David Holmgren, em resposta ao uso crescente de métodos agroindustriais, propuseram uma série de abordagens para desenvolver sistemas agrícolas estáveis. Aos poucos, sua contribuição inicial foi complementada e aprimorada, chegando a suscitar uma ideia muito mais ampla e ambiciosa de permacultura. Hoje nós o entendemos como um sistema de design holístico para criar habitats humanos sustentáveis. Um excelente instrumento nas mãos de comunidades em transição para enfrentar certos aspectos da crise global que estamos sofrendo, de conhecimento pessoal e de grupo, aplicável a todas as áreas da vida.

A permacultura se preocupa com uma miríade de coisas: produção de alimentos, autossuficiência econômica e energética, bioconstrução, paisagismo, resiliência dos ecossistemas e da biodiversidade, energia renovável, criação de estruturas que representem uma alternativa ao sistema capitalista e seus problemas, etc.

No país de Gabriela Mistral e Pablo Neruda podemos encontrar, por exemplo, a Rede de Ecovilas Eco Chile, formada por mais de dez empresas biorregionais participantes, todas vinculadas ao desenvolvimento da permacultura e com importante vocação educacional sob a proteção deste novo paradigma. Fora da rede, existem muitas outras propostas de pessoas que simpatizam com esta leitura da realidade e que partilham o mesmo desejo de mudança. Na escola de permacultura El Manzano (região do Bíobío) e também na cidade argentina de El Bolsón (província de Río Negro), perto da fronteira com o Chile, já estão sendo oferecidas oficinas específicas para professores ou sobre como abordar a permacultura para crianças.

LA MINGA ALEGRE

Vamos ficar no Chile e nas latitudes patagônicas. Um pouco longe do centro de Coyhaique, capital da região de Aysén, no sopé do Morro Mackay, visitei o povo de La Minga Alegre. A minga (minka em quechua) é uma tradição milenar de trabalho comunitário para fins sociais; Antes da convocação das lideranças, parte da população foi à convocação, mobilizada e organizada de tal forma que tanto a missão quanto o esforço físico que a minga representava se tornassem, no final, uma verdadeira festa.

Passei alguns dias ali, compartilhando telhado de palha e paredes com lama, excelente comida, música e, acima de tudo, longas horas de conversa. O local, com vistas privilegiadas, pretende ser um espaço de experimentação, de aprendizagem partilhada. Além disso, entre os membros desta comunidade havia um compromisso importante com a educação como pilar de seu projeto, embora as primeiras pedras estivessem apenas sendo colocadas e definindo os rumos a serem tomados através de interessantes debates epistemológicos e filosóficos. Até agora eles têm basicamente organizado oficinas de como fazer uma horta, sobre energias renováveis, interpretação, palhaço ou bonecos, mas também ocasionalmente convocam algumas mingas para avançar na bioconstrução de seus espaços comunitários.

Percebi naquele grupo de pessoas amigas o desejo de se abrir para todas as idades e todos os públicos, principalmente os mais jovens. Lembro-me do Álex me dizendo a importância de priorizar antes dos filhos aqueles conhecimentos verdadeiramente essenciais para poder cobrir as necessidades básicas da vida (alimentação, vestimenta, moradia ...), bem como trabalhar nas diferentes disciplinas do saber -todos conectados entre sim- da quinta, da cozinha, conhecendo e interpretando o ambiente, em contacto permanente com a natureza. Que lindo - e que útil! - seria acumular, desde cedo, a sabedoria necessária para construir com as próprias mãos um espaço íntimo e pessoal para viver. Ali, naquele ambiente excepcional, encontrei um coletivo humano refletindo sobre uma educação intimamente ligada à ideia que a permacultura nos sugere. O tempo dirá como ele toma forma, que forma toma e que curso ele escolhe.

A NOVA ESCOLA


Um pouco mais ao norte, na região de Los Lagos, exatamente na parte central da ilha de Chiloé, entrei em contato com Veneza. Hospedado em sua casa, apelidada de Refúgio Mawenko, pude conhecer o interessante trabalho iniciado por seis famílias durante meses, fundadoras de um projeto que já tem nome e forma: a Escola Newen. Inspirado na pedagogia Waldorf, começou a operar a plena capacidade neste mês de março, nos arredores de Castro, no bairro de Nercón. O local onde agora está localizado é provisório; Há um acordo com a organização americana EARTHSHIP para construir o prédio final em outra área a partir de janeiro de 2015. Tudo baseado em materiais reciclados e descartáveis.

Por ser uma iniciativa à disposição de quem nela quiser participar, entre os dezesseis atuais alunos podemos diferenciar aqueles que vieram para a Escola Newen em busca de maior socialização após uma etapa de escolarização em casa e aqueles que, decepcionados, optaram pelo desligamento sistema de educação.

A abordagem educacional que essas crianças irão conhecer é baseada principalmente na antroposofia, mas também na pedagogia do bem-estar, nas matrísticas de Humberto Maturana e em outras correntes. Nessa combinação de tradição e modernidade, de vivenciar o aprendizado, de usar a arte como ferramenta para aprimorar tanto as habilidades motoras quanto a criação e a sensibilidade, a permacultura não fica de fora. Pensando bem, num ambiente tão particular como o paraíso de Chiloé, recuperar as raízes na natureza e os seus ciclos parece quase uma obrigação ...

ESCOLA ALDEA EL BOSQUE

Subindo até a quinta região, entre Reñaca e Concón, conheci Mariángeles para chegar à comunidade Soprando no Vento, onde várias pessoas estão dando asas ao Colégio Aldea El Bosque. Como a experiência anterior, baseia-se nas abordagens educacionais de Rudolf Steiner, mas mantendo uma atitude aberta e eclética às contribuições de outras pedagogias. Por outro lado, também mantém contato com escolas Waldorf e recebe assessoria, por exemplo, da Escola San Francisco de Limache.

Embora tenha passado por diferentes marchas brancas (ou seja, períodos de prova), podemos considerar que esta será a sua terceira trajetória de vida, com 11 alunos pela manhã e 5 pela tarde. Em relação ao ano anterior, teve um crescimento notável e isso se deve, em parte, à maior abertura do projeto para que crianças de fora da comunidade possam participar. Além do empenho dos pais, destacam-se as dez pessoas diretamente comprometidas com a escola. Na programação semanal dos participantes, está previsto um tempo para a Permacultura e é Mariángeles, justamente, quem se encarrega de dar conteúdo e sentido a este espaço. Caminhando tranquilamente pelo Blowing podemos ter uma ideia da harmonia que se alcança quando os princípios da permacultura são praticados por mais de três décadas. E Paulo Freire já apontou que a educação não pode ficar desligada do contexto em que se encontra, certo?

Muy cerca de allí, Carolina está trabajando duro junto a [email protected] [email protected] de diferentes partes del mundo para levantar Pio Pio, que pretende ser un punto de encuentro comunitario donde el fomento de la permacultura y la intención educativa vayan, de nuevo, de mãos dadas. Embora tudo esteja em uma fase muito inicial, as ideias e intenções estão muito claras na cabeça de Carolina. Sendo este um caso semelhante ao da população da Minga Alegre, veremos como evolui e se, a médio / longo prazo, existe alguma possibilidade de simbiose entre Pio Pio e o Colégio Aldea El Bosque.

COMENTÁRIOS FINAIS

Tentando encerrar esta pequena investigação em solo chileno, gostaria de citar Evelyn Marsh, que em seu artigo "Usando os Princípios da Permacultura para se tornar um professor melhor", nos lembra da importância de permanecer em um estado de aprendizagem permanente para ter empatia com os nossos alunos, esse conhecimento não só gera respostas, mas também levanta novas questões.

Em todo o mundo, mas especialmente em todo o cone sul da América, é crescente o número de pessoas e grupos humanos que trabalham ou se preocupam em divulgar os princípios da permacultura. Sinto que esta é uma ferramenta indispensável para quem busca uma ação local coerente com uma visão global. Um exercício que, aliás, escolas e projetos educacionais - de qualquer natureza - não devem ignorar. Seria positivo para eles repensarem, como a permacultura nos convida a fazer, estruturas, hierarquias, tomadas de decisão, compartilhamento de papéis, relações trans e intrapessoais ... Em linha com o que sugere Marsh. Nunca podemos parar de nos questionar.

No Chile, felizmente, estão sendo plantadas sementes que logo darão frutos. Estaremos atentos ao seu amadurecimento.

http://www.reevo.org/


Vídeo: Introdução À Permacultura (Junho 2022).


Comentários:

  1. Tal

    I ask forgiveness that I intervene, but I propose to go by another way.

  2. Jovon

    Eu acho que você está cometendo um erro. Vamos discutir. Envie -me um email para PM.

  3. Vudok

    This sentence, amazing)))

  4. JoJozuru

    a frase magnífica e é oportuna

  5. Caedmon

    Considero, que você está enganado. Vamos discutir isso.

  6. Fionnbarr

    Quanto menos você estiver na Internet, as crianças serão mais saudáveis! Qualquer vida começa no fim. Melhor oi na mão do que n @ sim no horizonte... Melhor ser a primeira Maya do que a oitava Martha! .. A palestra não é uma ereção. Vamos adiar. (Sabedoria do aluno).

  7. Sying

    Interessado em ganhar dinheiro para um webmaster?



Escreve uma mensagem